quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

Os portões de John Connolly


   

Os portões

de  John Connolly

Título Original:     The Gates
Tradutor:     Dênia Sad

Páginas:     304
Formato:     16 x 23 cm
  

Como todas as suas obras voltadas para o público jovem, John Connolly, em Os portões, apresenta uma história extremamente criativa, com uma linguagem típica dos jovens e várias citações literárias importantes, desde São Tomás de Aquino até a teoria quântica. Como o próprio autor afirma, “um livro precisa, acima de tudo, ensinar às pessoas amar a literatura”. Escrito para um público mais novo do que o de O livro das coisas perdidas, sua obra anterior publicada pela Bertrand, mas, da mesma forma, original, o livro possui várias citações e mensagens subliminares ao longo de toda a trama. Connolly, conhecido por sua criatividade mágica, consegue novamente produzir uma história diferente de todas as demais do gênero. Os portões é uma narrativa divertida e mágica de um menino de 11 anos que, ao lado dos dois melhores amigos e seu cachorro, precisa evitar que os demônios vindos do inferno dominem o planeta Terra. O título do livro refere-se às portas que se abrem para a saída dessas criaturas malignas.  John Connolly mistura fantasia, humor e ciência numa história arrebatadora, que prova que aprender também pode ser muito divertido. Com certeza, todo leitor vai se divertir com as notas de rodapé do autor.  “Demoníaco e sombriamente cômico, salpicado de ciência, história e notas de rodapé engraçadas sobre todos os assuntos, desde São Tomás de Aquino até a teoria quântica.” (Daily Telegraph) “Chocante!” (Jeffrey Deaver) “Connolly tem uma mente repleta de histórias fantásticas.” (O Estado de S. Paulo)
 




O AUTOR
John Connolly
nasceu em Dublin em 1968. É o autor irlandês mais conhecido pelo mundo na atualidade e o primeiro autor não americano a ganhar o prêmio US Shamus.



Lançamento







Entre mundos de Brenna Yovanoff


   

Entre mundos

de  Brenna Yovanoff

Título Original:     The Space Between
Tradutor:     Sibele Menegazzi

Páginas:     392
Formato:     16 x 23 cm

    

Depois do enorme sucesso de O substituto, Brenna Yovanoff, no esperado Entre mundos, envereda novamente pelo gênero fantástico, tendo sempre como pano de fundo um mundo nebuloso e personagens sombrios. Os romances da autora já ultrapassaram a marca de um milhão de cópias vendidas no mundo, figurando sempre nas listas de mais vendidos dos EUA e da Grã-Bretanha.  A protagonista Daphne vive em Pandemonium desde que nasceu e sempre se sentiu excluída, um peixe fora d’água. Mesmo sendo filha de Lúcifer e Lilith, a mulher mais poderosa do inferno, a menina sempre teve o desejo de uma vida diferente da de suas irmãs, que se alimentam do sofrimento humano. Já seu irmão, Obie, que se dedica a salvar espíritos desvirtuados na Terra, é um ídolo e a esperança de Daphne para mudar de vida.  Quando Obie é raptado, Daphne foge para a Terra para resgatá-lo e tentar encontrar seu verdadeiro caminho. Ela só não imaginava conhecer o misterioso e desprotegido Truman.  O novo livro de Brenna Yovanoff é mais do que um romance para jovens, como a maioria no mercado editorial. Ele apresenta, além de uma história intrigante, um debate inteligente e bem-construído a respeito do bem e do mal na sociedade. Com isso, a autora desconstroi o maniqueísmo inerente aos seres humanos, que estão sempre buscando o mocinho e o vilão.  Entre mundos é um romance transcendental sobre uma jovem – que também é um demônio – e sua procura pelo amor na Terra. Uma história que põe em questão a ética, os valores e os sentimentos humanos neste e em outros mundos.   


A CRITICA
“Uma história nada sentimentaloide e um sopro de ar fresco nesse gênero.” (Booklist) “Essa fantasia sombria e poderosa contém momentos de beleza, terror e muita sabedoria.” (Publishers Weekly)


Lançamento




A cidade sombria de Catherine Fisher


   

A cidade sombria

de    Catherine Fisher

Título Original:     The Dark City
Tradutor:     Bruna Hartstein
 
Coleção:     O Mestre das Relíquias
Páginas:     336
Formato:     16 x 23 cm

  

Após o grande sucesso de O círculo negro, chega às livrarias A cidade sombria, primeiro volume da Série O Mestre das Relíquias. Considerada uma das melhores escritoras contemporâneas de livros de fantasia pelo jornal The Independent, Catherine Fisher tem seus romances sempre presentes nas principais listas de mais vendidos dos EUA e da Grã-Bretanha. A única esperança para Anara, um mundo às portas da total devastação, se encontra em um mestre, seu aprendiz e nas antigas e ilegais relíquias com poderes misteriosos que eles colecionam. Ao saírem à procura de uma delas, escondida há séculos, Raffi e Galen serão caçados, espionados e testados além dos seus limites, pois existem monstros — alguns deles humanos; outros, não — que também desejam o poder desta relíquia e lutarão por ela até o fim. Em A cidade sombria, o mundo construído pela autora é incrível, e os personagens, inesquecíveis. Com certeza, o leitor será surpreendido com o desenrolar da trama e o final estarrecedor. Um livro que agradará a todos que procuram aventura e magia. Fisher recebeu o prêmio de Melhor Livro do Ano de 2011 pelo The Washington Post, o Kirkus Reviews e o Publishers Weekly. “Uma história corajosa e de leitura mais que agradável, que se equilibra na linha divisória entre a fantasia e a ficção científica.” (Publishers Weekly) “A qualidade da escrita de Fisher, associada à popularidade desse gênero distópico, garante um ótimo público para a série. Além de tudo, o livro é excelente.” (School Library Journal) “Uma história bem-contada, que prende do começo ao fim.” (Kirkus Reviews)

A AUTORA
CATHERINE FISHER
lecionou Redação Criativa e desenterrou cerâmica romana em escavações arqueológicas. Atualmente, passa a maior parte do tempo escrevendo romances e poemas, desenhando, praticando esgrima e caminhando nos bosques do vale Wye. Vive no País de Gales com seus dois gatos, Jessa e Tam Lin.



Lançamento


sábado, 30 de novembro de 2013

Projeto infantil A Turma do Tikuntá lança novo clipe em desenho animado







Em fase de produção do seu primeiro DVD, com lançamento previsto para o começo de 2014, A Turma do Tikuntá disponibiliza hoje no YouTube um novo clipe em animação. Depois de apresentar os “Monstros Bem Criados” e o “Garoto Espuma”, hoje a criançada irá conhecer o “Dia de Irineu”. A música fala sobre a rotina de um garotinho muito simpático, com um ritmo que acompanha cada fase do dia. O vídeo traz animações de Sergio Filho.



A Turma do Tikuntá surgiu da parceria entre o cantor, ator e compositor Leonardo Lois e a cantora e letrista Janaina Rita. A dupla ensinava música em alguns colégios no Rio de Janeiro e foi a partir dessa convivência, com crianças de várias idades, que eles decidiram criar esse trabalho. Todas as músicas são assinadas pelos dois, que brincam com diversos gêneros musicais, do rock ‘n’ roll à cantiga de ninar. Realizando um desejo antigo, através da Deck a dupla conheceu Sergio, que dirigiu, roteirizou e fez as animações para acompanhar as inventivas canções do projeto.





No canal no YouTube d’A Turma do Tikuntá ainda há vídeos com dicas de brincadeiras, como “Monstro do Nome”, que ensina as crianças a desenharem um monstro a partir do seu próprio nome.





Para assistir ao “Dia de Irineu”, acesse: http://youtu.be/Y4YvPyz1Z3s



Para acessar o canal d’A Turma do Tikuntá: https://www.youtube.com/watch?v=QIRHg-HoqmE&list=PLTaRWr5sdDvkohOCK4ob2yNCN8zJmyu16

07/12 PALHAÇARIA PAULISTA COM ROTEIRO COMPLETO



                                  Espetáculos só com Palhaças

encerram a Palhaçaria Paulistana





Grande encontro de cultura circense irá acontecer em lona montada no Vale do Anhangabaú,

com 10 espetáculos entre  7 a 10 de dezembro, com entrada franca.

Último espetáculo, dia 10, às 18h, reunirá somente palhaças. Abaixo a programação completa.



val.jpg



A Palhaçaria Paulistana, evento realizado pela Cooperativa Brasileira de Circo, com correalização da Secretaria Municipal de Cultura, chega a sua 7ª edição e presta uma homenagem “As Mulheres Palhaças”. Cada um dos 10 espetáculos terá como mestre de cerimônia algumas das palhaças mais lindas e divertidas  do Brasil.  Entre elas:  a Lorieta, a Pororoca, a Guadalupe, a Manela, a Spirulina, a Dupla Cia e a Rubra, que se reunirão  para o espetáculo 100% feminino que fará o encerramento do evento,  no dia 10 de dezembro, terça-feira, às 18h.



Elas serão comandadas pela palhaça Xaveco Fritza, criação de Val de Carvalho, atriz, diretora artística e uma das pioneiras da palhaçaria feminina no Brasil. Pesquisadora da palhaçaria clássica, estudou e trabalhou no Circo Escola Picadeiro e na Oz Academia Aérea de Circo. Atualmente é uma das integrantes dos Doutores da Alegria e faz assessoria clownesca na escola Galpão do Circo em São Paulo.



Além das Palhaças, vários artistas tradicionais e contemporâneos incluindo  nomes da Abracirco- Associação Brasileira de Circo, se apresentarão em números de malabarismos, pernas de pau, contorção e números aéreos, estes apresentados ao ar livre, após os espetáculos em trapézio montado na parte de fora da lona.



A Palhaçaria Paulistana  tem como objetivo dar sequência ao grande encontro de cultura circense que vem sendo realizado ano após ano e que dá a possibilidade para os artistas locais se apresentarem, aumentarem seu publico e trocarem experiências, num  evento que consolida o circo como atividade cultural, geradora de trabalho e renda.



As apresentações acontecerão na lona montada no Vale da Anhangabaú, em frente ao edifício dos Correios, retornando ao espaço  tradicional  para o circo. Os espetáculos acontecem de 7 a 10 de dezembro, em diversos horários e com entrada franca. Os ingressos começam a ser distribuídos uma hora antes de cada espetáculo.





Serviço

7ª Palhaçaria Paulistana

De 7 a 10 de dezembro de 2013

Sábado e domingo, em dois horários: às 15h e às 17h

Segunda e terça-feira, em 3 horários: às 12h , 14h e 18h

Duração: 1h20

Capacidade: 300 lugares

Grátis

Os ingressos começam  a ser distribuídos uma hora antes do espetáculo

Local: Lona montada no Vale da Anhangabaú, em frente ao edifício dos Correios (Avenida São João, s/n - Centro - São Paulo)

Para maiores informações: 3868. 4172



Programação Completa



Sábado dia 7 de dezembro

15 horas – Recepção –

Banda Musical  palhaço Bacalhau, Ale thomazini e Vilson Malaquias

Mestre de cerimônia: Val de carvalho- xaveco fritza

Palhaças: Thelma Luz - palhaça Lorieta

Monique Franco - palhaça Nina Rosa



Thiago Cintra - Malabares facas e contato de bolas

Juliana Stevanovich – bambolê

Anderson Esteves – monociclo

Nadia Funes – Manipulação de chapéus



Aéreos 

Lira  Neryssa  Sayure

Trapézio  Juliana  kaseka



17 horas

Mrstra: Val de Carvalho - palhaça Xaveco Fritza

Palhaças: Glauce Carvalho - palhaça Rodapé

Karina Muller - palhaça Gardênia Flores



Caio  Stevanovich - malabares

Jeisel Bonfim /Michele Rebulho   - duo acrobático

Montanha ( Andre Carvalho) - Quebrando a   Bacia

Rafe Cardoso- beat box



Aéreos

Tecido  Daniele Ribeiro

Faixa  Tom Ramos



DOMINGO  15 horas

MESTRA Juliana Ferreira - palhaça Katrina

Palhaças: Aline Olmos - palhaça Madame Poatrine

Fernanda Jannuzzelli - palhaça Begônia



Simone  Adriano  /Grazi Silva   contorção

Báscula   Alfredo Muñoz  /Vitor Dias

Alessandra Fleury – contorção

Lucas Gurbanov - Magico



Aéreos

Jessica   Jaqueline ébanos  voadoras/            Double lira

Guilherme Ambrosio    Cubo

Simone /Grazi   Corda Indiana



Domingo  17 horas

Mestra: Juliana Ferreira - palhaça Katrina

Palhaças: Luciana Viacava - palhaça Lola Brígida

Val de Carvalho - palhaça Xaveco Fritza



Fabiana Oliveira    contorção

Natalia Furlan Paulo Maeda – mão  a mão

Daniela Siqueira  -bolas de rebote



Aéreo 

Cesar Rossi – Trapézio  Solo

Fabiana de Oliveira /Tom Santos   bambu aéreo



Segunda feira



12 hs.  Cabaret  Circense da ABRACIRCO.





Apresentador  - Claudio Siqueira

Palhaços   Corchito e Condorito

 Magia Dançante - Armando Klenque  e sua Partner

 Malabares - Caio Stevanovich

 Palhaço Mimico - Rodrigo Garcia

 Bambolê -  Talissa Fabri





15 hs.  Cabaret  Circense da ABRACIRCO



Apresentador : Camilo Torres - Palhaço Pirulitus

Malabares  -  Tiago Gelli

Ventriloquia - Gelatina e Biju.

Magia  - Mágico Jef

Bambolê - Thainá Gelli.

Palhaços - Pepin e Florzita







18hs.  Cabaret  Circense da ABRACIRCO



Apresentador - Camilo Torres (Palhaço Pirulitus)

Malabares - Fabio Stevanovich

Cubo Aéreo - Jennifer Baeta (Gat Women)

Palhaços ´Putch e Pitucha

Magia - Mágico King



Os cabarés que a ABRACIRCO estará apresentando, visa enaltecer os artistas clássicos  das  gerações familiares circenses,  com a nova geração de artistas, que mesclam esta tradição com uma nova concepção cênica  dos números artísticos



Terça Feira   12 horas

12hs ás 18hs  - PRE ENCONTRO NACIONAL DE MULHERES PALHAÇAS – NO CENTRO DE MEMÓRIA

PRODUÇÃO TEATRO DA MAFALDA

Mestra: Célia Borges

Tatilene dos santos souza- palhaça Jujuba

Juliana Ferreira - palhaça Katrina

Flora Matsumori - palhaça Cereja



Barbara Francisquine - bambolê

Viviane Rabelo  Muñoz - Tranca

Bruno Edson  Pratos bailarinos

Micheli  Rebulho/Jeisel Bonfim - acrobalance

Rokan e Rany – Mágico dos dedos de Ouro

Andre Becker – manipulação de chapéus



Aéreos 

Percha  Viviane e Alfredo  Muñoz

tecido  Maria  Seckler



14hs

Mestra: Paola Musatti - palhaça Manela

Sueli Andrade - palhaça Greta Garboreta

Thelma Luz - palhaça Lorieta



Mão a mão- Marina e Cosmai

Monociclo- Alfredo munoz

Parada de mão- Paulo Maeda



Aéreo

Micheli  Rebulho/Jeisel Bonfim - acrobalance



15:15 hs sampalhaças

Mestra: Tereza Gontijo - palhaça Guadalupe

Palhaças: Layla Ruiz - palhaça Pororoca

Vera Abud - palhaça Emily

Bete Dorgam - palhaça Madame Elizabeth The Queen

Silvia Leblon - palhaça Spirulina



17 hs  - Cortejo Cênico de Palhaças (todas)



17hs 45 trapezio cômico- palhaça Maria

18hs

Lú Lopes - palhaça Rubra

Lily Curcio - palhaça Jasmim

Paola Musatti - palhaça Manela

Vera Abud - palhaça Emily


Luciana Viacava - palhaça Lola Brígida

Juliana Ferreira - palhaça Katrina

Thelma Luz - palhaça Lorieta

Juliana Gontijo - palhaça Dona Juca Pinduca

Andrea Macera - palhaça Mafalda Mafalda

Flora Matsumori - palhaça Cereja

Val de Carvalho - palhaça Xaveco Fritza

terça-feira, 5 de novembro de 2013

Namíbia, não! Texto teatral em um ato






Namíbia, não! 

Texto teatral em um ato

de Aldri Anunciação
Ano: 2012
Área: Literatura portuguesa

Edição:

Nº de Páginas: 159
Dimensões: 11 x 18 cm
Acabamento: Brochura
Peso: 220 g
Idioma: Português

Esta obra reúne texto, imagens de apresentações e fotos dos atores da peça Namíbia, não!, que marca a estreia de Aldri Anunciação como dramaturgo. Este texto logo se destaca por ser de ficção futurística, gênero não muito presente nos palcos, atraindo a atenção dos leitores e espectadores. Com bom humor e senso crítico, aborda a segregação racial: dois primos são surpreendidos por uma medida que determina que os cidadãos brasileiros com traços que indiquem ascendência africana devem ser capturados e devolvidos aos seus países de origem.

Aldri Anunciação conquista o Prêmio Jabuti de Literatura 2013, categoria Juvenil, pelo livro Namíbia,não!

Aldri Anunciação, com o seu livro Namibia Não!, é o vencedor do Prêmio Jabuti de Literatura 2013,categoria Juvenil. O resultado da 55ª Edição do Prêmio Jabuti foi divulgado hoje (17/10) e a cerimônia de entrega será realizada em São Paulo, dia 13 de novembro de 2013.

O Prêmio Jabuti de Literatura, um dos mais tradicionais da literatura no Brasil, contempla 27 categorias que vão de tradução e design gráfico de livros a temáticas específicas. Ao todo, foram avaliadas mais de 2 mil obras publicadas em 2012. No caso de Aldri Anunciação, a indicação (e agora premiação) foi para a categoria Literatura Juvenil, que considera o conteúdo da obra. Os critérios de avaliação na categoria em questão são: 1) construção de personagem e trama 2) ajuste para a idade a que se destina e 3) originalidade da ideia.

O livro foi oficialmente lançado na Bahia em março de 2012, após ganhar o Prêmio Braskem de Teatro 2011 de Melhor Texto. A obra foi adaptada para os palcos e contou com a direção de Lázaro Ramos, em estreia movimentada, em março de 2011, na Sala do Coro do Teatro Castro Alves, na Bahia. Vale lembrar que em dezembro de 2012, através de votação popular, o Portal R7 considerou este o Melhor Texto de Teatro do ano também.

Os melaninas acentuadas estão arrebentando! Desde a primeira lista dos indicados ao Prêmio Jabuti, Namíbia, Não! - o livro - foi simplesmente o mais votado. Para o resultado final todos os pontos foram zerados e os 10 indicados passaram por nova votação, na qual Namíbia, Não! e Aldri Anunciação sairam vencedores.

Em novembro deste ano será publicada a versão em alemão pela editora FischerTheater Verlag, com tradução do renomado pesquisador e brasilianista Henry Thorau (tradutor responsável, do português para o alemão, pelas obras de Nelson Rodrigues)


 LANÇAMENTO

ALICE NO JARDIM DE INFÂNCIA de : Lewis Carroll Ilustrações: Sir Jonh Tenniel





ALICE NO JARDIM DE INFÂNCIA




de : Lewis Carroll

Ilustrações: Sir Jonh Tenniel


Tradução:Sérgio Medeiros

No de Paginas:64






Uma edição imperdível, para os que são apaixonados pela história, pelas ilustrações e que mesmo assim tinham dificuldades em contar as aventuras de Alice para os mais pequerruchos!


O autor inglês escreveu o livro com um olho em vinte ilustrações coloridas de Tenniel, que já haviam aparecido em preto e branco no livro original. O leitor brasileiro saberá agora que Alice usava meias azuis..., e verá essas meias e outros detalhes importantes da personagem se destacarem nas páginas deste livro, que revela novas e saborosas facetas da maior heroína de Carroll.




O AUTOR

Lewis Carroll


Charles Lutwidge Dodgson, mais conhecido pelo seu pseudônimo Lewis Carroll (Daresbury, 27 de janeiro de 1832 — Guildford, 14 de Janeiro de 1898), foi um romancista, poeta e matemático britânico. Lecionava matemática no Christ College, em Oxford, e é mundialmente famoso por ser o autor do clássico livro Alice no País das Maravilhas e os poemas presentes neste livro, além de outros poemas escritos em estilo nonsense ao longo de sua carreira literária, são considerados por críticos, em função das fusões e da disposição espacial das palavras, como precursores da poesia de vanguarda.


Desde criança, Lewis Carroll recebeu de seu pai uma educação religiosa, pois tencionava vê-lo seguir essa carreira. Carroll desviou-se de vez da carreira sonhada pelo pai em Janeiro de 1851 quando ingressou na Universidade de Oxford. Durante o tempo em que estudou na Universidade de Oxford, ele sempre se mostrou bastante interessado e esforçado, tanto que chegou a ganhar uma medalha de honra ao mérito. Devido o seu desempenho como matemático, ao acabar o seu curso, foi convidado pela universidade para trabalhar lá como professor de matemática


Quando criança Carroll brincava com marionetes e prestidigitação (também chamado magia ou ilusionismo), e durante a sua vida gostou de fazer passes de mágica, especialmente para as crianças. Gostava de modelar um camundongo com um lenço e em seguida fazê-lo pular misteriosamente com a mão. Ensinava as crianças a fazer barquinhos de papel e também pistolas de papel que estalavam ao serem vibradas no ar. Interessou-se pela fotografia quando esta arte mal havia surgido, especializando-se em retratos de crianças e pessoas famosas e compondo suas imagens com notável habilidade e bom gosto.

Carroll era apaixonado por vários tipos de jogos, tanto que inventou um grande número de enigmas, jogos matemáticos e de lógica; gostava de teatro e era frequentador de ópera, e manteve uma amizade por toda a vida com a atriz Ellen Terry.



A história de Alice no País das Maravilhas originou-se em 1862, quando Carroll fazia um passeio de barco no rio Tâmisa com sua amiga Alice Pleasance Liddell (com 10 anos na época) e as suas duas irmãs, sendo as três filhas do reitor da Christ Church. Ele começou a contar uma história que deu origem à atual, sobre uma menina chamada Alice que ia parar a um mundo fantástico após cair numa toca de um coelho. A Alice da vida real gostou tanto da história que pediu que Carroll a escrevesse.

Dodgson atendeu ao pedido e em 1864 surpreendeu-a com um manuscrito chamado Alice's Adventures Underground, ou As Aventuras de Alice Embaixo da Terra, em português. Mais tarde ele decidiu publicar o livro e mudou a versão original, aumentando de 18 mil palavras para 35 mil, notavelmente acrescentando as cenas do Gato de Cheshire e do Chapeleiro.

A tiragem inicial de dois mil exemplares de 1865 foi removida das prateleiras, devido a reclamações do ilustrador John Tenniel sobre a qualidade da impressão. A segunda tiragem esgotou-se nas vendas rapidamente, e a obra se tornou um grande sucesso, tendo sido lida por Oscar Wilde e pela rainha Vitória e tendo sido traduzida para mais de 50 línguas.

Em 1998, a primeira impressão do livro (que fora rejeitada) foi leiloada por 1,5 milhão de dólares americanos.


Ambos os livros infantis de Carroll contêm inúmeros problemas de matemática e lógica ocultos no seu texto. Em Alice no país das maravilhas, a personagem Alice entra em uma toca atrás de um coelho falante e cai em um mundo fantástico e fantasioso. Muitos enigmas contidos em suas obras são quase que imperceptíveis para os leitores atuais, principalmente os não-anglófonos, pois continham referências da época, piadas locais e trocadilhos que só fazem sentido na língua inglesa.


Uma de suas frases mais marcantes era "Gosto de crianças (exceto meninos)". Quando tinha oportunidade gostava de desenhar ou fotografar meninas seminuas, com a permissão da mãe. "Se eu tivesse a criança mais linda do mundo para desenhar e fotografar", escreveu, "e descobrisse nela um ligeiro acanhamento (por mais ligeiro e facilmente superável que fosse) de ser retratada nua, eu sentia ser um dever solene para com Deus abandonar por completo a solicitação".

Por temor que estas imagens desnudas criassem embaraços para as meninas mais tarde, pediu que após a sua morte fossem destruídas ou devolvidas às crianças ou a seus pais. Quatro ou cinco fotos ainda sobrevivem. Uma delas é possível encontrar no livro "Pleasures Taken - Performances of Sexuality and Loss in Victorian Photographs" da autora Carol Mavor. Na página 12 do livro é possível encontrar a foto da menina Evelyn Hatch, 1878 (fotografada totalmente nua) como também referências ao trabalho fotográfico de Lewis Carroll.

Em outro livro intitulado "Cartas às suas amiguinhas" da editora Sette Letras, o conteúdo das cartas de Lewis Carroll às meninas com quem ele se relacionou é analisado de forma fria e racional e revela uma intimidade fora do comum entre Lewis e as meninas que ele fotografou.
Falecimento

Faleceu em Guildford em 14 de janeiro de 1898. Encontra-se sepultado no Cemitério de Guildford, Surrey na Inglaterra.

John Tenniel


Sir John Tenniel (1820 - 1914) foi um ilustrador inglês. Seu trabalho mais reconhecido são as ilustrações para as obras de Lewis Carroll: Alice no País das Maravilhas e Through the Looking Glass.


 

 

UM LANÇAMENTO




 

As quatro estações de João Proteti/Marília Cotomacci


As quatro estações

       

de  João Proteti/Marília Cotomacci


Edição:     01
Área:     Literatura infantil
Coleção:     Catálogo geral

Lançamento:     17/09/2013
Ano 1ª Edição:     2013
Acabamento:     Colado e costurado
Encadernação:     Brochura
Nº Páginas:     64
Orelha:     Sim
Público Alvo:     Pais, educadores e crianças.

           

O LIVRO

A primavera chega com seus versos cheios de cor. O verão, depois, pede poemas fresquinhos, de preferência acompanhados de um delicioso sorvete!
Já o outono vem tímido, sem saber se veste botas ou chinelos. E o inverno?

Descubra aqui o que As quatro estações levaram o João e a Marília a inventar!

LANÇAMENTO






A culpa é da pipoca de Dayse Torres


A culpa é da pipoca

       

de   Dayse Torres


Área:     Literatura infantil
Coleção:     Catálogo geral

Lançamento:     03/06/2013
Ano 1ª Edição:     2012
Acabamento:     Colado e costurado
Encadernação:     Brochura
Nº Páginas:     20
Orelha:     Sim
Público Alvo:     Pais, educadores e crianças.











O LIVRO
Um passarinho, Tico, pousou bem no alto da minha cabeça. Chamou a namorada, Lica, e construíram um ninho. Logo nasceram os filhotes e - nossa! - começou a acontecer tanta coisa por ali...
Apesar da confusão, acabei gostando tanto do Tico e da Lica que resolvi escrever essa história.


.

LANÇAMENTO






 

quarta-feira, 23 de outubro de 2013

26/10 INFANTIL - A RAINHA PROCURA NO SESC BELENZINHO DIREÇÃO CESAR GOUVÊA


A Cia do Quintal volta em cartaz com o espetáculo infantil
“A Rainha Procura...”
Cesar Gouvêa, criador do consagrado espetáculo Jogando no Quintal,
dirige novo espetáculo voltado para toda a família,
onde palhaços- improvisadores colocam a sua cabeça à premio
em aventuras por um tabuleiro de xadrez.
Temporada de 26 de outubro a 24 de novembro no SESC Belenzinho.
 Sessões aos sábados e domingos,  às 12h.

A “A Rainha Procura...”  é a nova montagem da Cia do Quintal, criadora do espetáculo Jogando no Quintal, que  há 11 anos  é sucesso absoluto de critica e público.
A história coloca os palhaços- improvisadores novamente em estado de jogo, porém, não mais nos gramados de um estádio de futebol como no consagrado espetáculo da Cia, e sim num grande tabuleiro de xadrez.
Neste tabuleiro, sobraram apenas a Rainha - que se encontra em um estado de  profunda tristeza e solidão por ter seu reino massacrado pelo exército adversário - e um peão, seu fiel escudeiro.
Na tentativa de recuperar seu reino, a Rainha abre testes para bispos, cavalos, torres e peões. Porém, seus planos acabam mudando de rumo com a aparição de dois palhaços que preferem ser bobos da corte a servir como defensores do território.
A Rainha decide então promover uma audição para bobos da corte, na qual os candidatos terão a difícil tarefa de alegrá-la por meio dos mais inusitados desafios, onde serão obrigados a improvisar, mostrar  seus truques, números ou  habilidades.
Apenas um candidato será o escolhido, mas para tomar a melhor decisão, a Rainha precisará da ajuda do seu povo - a platéia, que terá a decisão do final de cada apresentação em suas mãos. 
Em sua primeira temporada na cidade, “A Rainha Procura” recebeu criticas elogiosas em vários veículos e ganhou 4 estrelas no Guia do Jornal Folha de São Paulo.
Serviço:
“A Rainha Procura...”
Concepção e direção: Cesar Gouvêa
Elenco: Rhena de Faria, Claudio Thebas,
Denis Goyos, Davi Taiu e Álvaro Lages
Temporada: de 26 de outubro a 24 de novembro de 2013
sábados e domingos, às 12h
Classificação: livre
Duração: 50 minutos
Ingressos: R$ 10,00 / R$ 5,00 meia / R$ 2.00 comerciários
Compra de ingressos nas bilheterias do Sesc e pela Internet: www.sescsp.org.br
Capacidade: 376 lugares
Sesc Belenzinho
Padre Adelino, 1000, Belenzinho São Paulo - SP, 03303-000
(11) 2076-9700

FICHA TÉCNICA
Realização: Cia do quintal
Concepção e direção geral : César gouvêa
Atores: Rhena de Faria, Davi Taiu, Claudio Thebas,
Denis Goyos,  Alvaro Lages
Classificação: Livre
Duração: 50 minutos
Figurino : Elisa Rossin
Confecção de figurino: Beto Souza
Cenário: César Gouvêa e Elisa Rossin
Iluminação: Marcel Gilber
Operação de luz : Almir Rosa
Produção executiva: Humberto Rodrigues
Gestão Cultural e Coordenação de Produção:
Touché Cultural - Ludmilla Picosque
Contra regra: Getulio Cristovan

Sobre a Cia do Quintal
A Cia do Quintal nasceu em 2002 com a estréia do espetáculo Jogando no Quintal - jogo de improvisação de palhaços, que se mantém há 11 anos em cartaz . Este espetáculo por  ser um dos pioneiras no teatro de improviso no Brasil , se converteu em uma importante referencia para muitos grupos que surgiram neste país na ultima década.
No início do ano de 2008 os integrantes do Jogando no Quintal foram campeões mundiais de Improviso.  Eles venceram o Campeonato Mundial de Match de Improvisação, que fez parte do XI Festival Ibero Americano de Teatro de Bogotá,na Colômbia, derrotando as equipes da Argentina, Espanha e Colômbia, a dona da casa, em votação, decidida pelo público.
Dirigida por César Gouvêa, a cia desde seu surgimento vem dedicando-se a pesquisa e ao dialogo das técnicas da improvisação , do palhaço e do teatro.
Hoje em dia possui 5 espetáculos em seu repertório: o Jogando no Quinta, dois em parceria com os grupos latinos e dois voltados para toda a família.
Os grupos latinos são: imponta, do Uruguai, e accion impro, da Colômbia. Este intercâmbio consolida a parceria tanto com artistas da Europa como da América Latina, levando a Cia. a representar o Brasil em diversos festivais fora do país como na Espanha, Argentina, Colômbia, Uruguay, Chile.
Os  espetáculos voltados para toda a família são “O Mágico de Nós”, e “A  Rainha Procura”, que ganhou 4 estrelas na avaliação do Guia do jornal Folha de São Paulo e acaba de ser indicado ao Prêmio FENSA.

26/10 GRÁTIS - INFANTIL - A ÁRVORE BERENICE NO EVA HERZ


E

Infantil - Ingressos gratuitos
Projeto Teatro para Todos apresenta
“A Árvore Berenice”,
dia 26 de outubro, às 17h00,
no Teatro Eva Herz

Comemorando 6 anos, o Teatro Eva Herz apresenta o Projeto Teatro Para Todos, com 10 peças diferentes, em 12 apresentações gratuitas até o dia 26 de novembro de 2013. 
No dia 26 de novembro, o Projeto Teatro Para Todos apresenta “ A Árvore Berenice”, às 17h, no Teatro Eva Herz.  Numa cidade barulhenta e devastada, os personagens Coruja e Moita descobrem uma amiga em comum, a Árvore Berenice. Juntos eles fazem uma viagem no tempo, embalada por músicas e brincadeiras, relembrando muitas histórias. Os ingressos serão distribuídos uma hora antes do espetáculo. A recomendação é livre.
Projeto Teatro Para Todos
Apresentações gratuitas no Teatro Eva Herz
Ingressos Gratuitos: distribuídos uma hora antes do espetáculo
1  ingresso por pessoa
Teatro Eva Herz da Livraria Cultura – Conjunto Nacional
Avenida Paulista, 2073, Metrô Consolação.
Capacidade do teatro: 166 lugares ( quatro para cadeirantes)



5/11 "PELO CANO" VOLTA EM CARTAZ COM PAOLA MUSATTI E VERA ABBUD





Grupo Las Ventanas volta em cartaz com a peça
PELO CANO
De 5 a 26 de novembro, às terças-feiras,
no Teatro CIT-ECUM
As relações das palhaças Emily e Manela,
interpretadas pelas atrizes Vera Abbud e Paola Musatti,
 com  objetos que escapam de suas funções
traçam o caminho deste espetáculo não linear

O espetáculo Pelo Cano volta em cartaz no dia 5 de novembro,  às 21h, no Teatro  CIT-ECUM, com sessões às terças-feiras até o dia 26 de novembro.
A criação e direção são  assinadas pelo grupo Las Ventanas. Em cena,  as palhaças Manela e Emily, interpretação das atrizes Paola Musatti e Vera Abud,  contracenam com  dois canos, um sifão de pia, um tubo cirúrgico, alguns rolos de fita crepe e uma nota de cem reais, que  escapam de suas funções cotidianas e utilitárias e acabam por interferir na relação entre as duas palhaças em cena, levando a uma realidade cotidiana mais insólita e sensível.

Acrescenta-se aos objetos a presença da música tocada e cantada ao vivo pelas próprias palhaças. Com violão, flauta, voz e violino Manela e Emily criam um equilibrado contra-ponto às situações silenciosas, compondo musicalmente - e cenicamente - um espetáculo sutil e coeso, onde as emoções se manifestam por diversos registros.  
Serviço:
Pelo Cano
Criação e Direção: Las Ventanas
Com: Paola Musatti e Vera Abbud
Temporada: de 5 a 26 de novembro, sessões as terças-feiras, às 21h
Duração: 60 min.
Censura: 12 anos
Capacidade: 134 lugares
Ingressos: R$ 40,00 / R$ 20,00 meia
Local: Teatro CIT-ECUM
Rua da Consolação, 1623
Ar condicionado• Acesso e banheiro para deficientes
Ingressos: Pela internet: www.compreingressos.com
tel: 11.2122.4074
Bilheteria:  abre 2 horas antes do espetáculo
Aceita: Crédito: Diners, Mastercard, Visa / Débito: Maestro, Rede Shop, Visa Electron
Ficha técnica:
Criação, direção e atuação: Paola Musatti e Vera Abbud
Supervisão artística: Fernando Sampaio
Manipulação de objetos: Edu Amos
Cenário: Marisa Bentivegna
Cenotenia: Ono Zone estúdio
Figurino: Daniel Infantini, Paola Musatti e Vera Abbud
Iluminação: Marisa Bentivegna
Técnico de luz: Aline Barros
Técnico de palco: Tiago Machado
Projeto Gráfico: Ana Muriel
Fotos: João Caldas
Produção e Administração: Touché Cultural- Ana Barros & Ludmilla Picosque
História
Pelo Cano surgiu de um número de 15 minutos criado em 2005 pelas atrizes Paola Musatti e Vera Abbud. O número foi  premiado em vários Festivais, entre eles: o  Festival de Cenas Curtas do Grupo Galpão - MG; o Festival de Cenas Breves - PR; e o Festival de Cenas Cômicas dos Parlapatões – SP. A partir daí as atrizes  ampliaram seus desejos artísticos e transformaram o número embrionário em um espetáculo de 60 minutos. 
Assim como no número original, a dramaturgia do espetáculo não parte de um texto fixo. O fio condutor do espetáculo se desenvolve a partir da expansão de uma pequena situação que, por sua vez, incorpora novas situações, novas histórias, novas relações, novos quadros que, associados entre si, compõem o universo poético das duas personagens.
Sobre as atrizes
Paola Musatti
Manela
Formou-se na EAD- Escola de Arte Dramática – ECA/USP em 1997 e nas Artes Circenses no Circo Escola Picadeiro com o grupo Acrobático Fratelli.
Foi fundadora da Cia. Cênica Nau de Ícaros em 1992, com a qual trabalhou por quatro anos como palhaça. Trabalhou com diversos artistas, diretores e grupos, como: Parlapatões, Pia Fraus, XPTO, Circo Zanni e Guto Lacaz.
Estudou a arte da palhaçaria com Leris Colombaioni, Avner Eisenberg, Ricardo Puccetti, Denise Namura entre outros.
Desde 1997 integra o grupo Doutores da Alegria, levando a arte do palhaço a crianças hospitalizadas.
Foi campeã no Mundial de Match de Improvisação realizado em Bogotá (Colômbia), em 2008.
Atualmente dá aulas de Palhaço no Quintal de Criação. Apresenta o espetáculo de palhaças "Pelo Cano", ao lado de Vera Abbud, tendo conquistado vários prêmios em diversos festivais, e nos espetáculos "Jogando no Quintal – Jogo de Improvisação de Palhaços" e "O Mágico de Nós – uma fábula Improvisada", todos da Cia. do Quintal.
Vera Abbud
Emily
Trabalhou na Troupe de Atmosfera Nômade por cinco anos, sob direção geral de Cristiane Paoli Quito, encenando "Uma Rapsódia de Personagens Extravagantes", "O Rei de Copas", entre outros.
Integra a Cia. As Graças desde 1995, com a qual realizou doze montagens e foi contemplada por cinco vezes com a Lei Municipal de Fomento ao Teatro Para A Cidade de São Paulo, com o Projeto Circular Teatro.
Foi a primeira palhaça brasileira a integrar ao lado de Wellington Nogueira o grupo Doutores da Alegria, onde trabalha desde 1993.
Trabalhou no grupo Le Rire Medicin em Paris em 2005/2006.
Ao lado de Paola Musatti apresenta o espetáculo de palhaças "Pelo Cano", tendo conquistado vários prêmios em diversos festivais.
Dá aulas de Palhaço no Quintal de Criação e é palhaça-atleta do "Jogando no Quintal – Jogo de Improvisação de Palhaços."

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

DESTINOS de Aprilynne Pike




DESTINOS
de Aprilynne Pike


(Série Fadas #4)

    Depois de mais de um milhão de exemplares vendidos nos Estados Unidos e na Grã-Bretanha e figurar nas principais listas de mais vendidos em vários países, “Destinos”, quarto volume da Série Fadas, é a conclusão da saga de fantasia que conquistou fãs em todo o mundo. Laurel sempre achou que fosse uma garota comum de Crescent City, Califórnia. Ela nunca poderia imaginar que há um mundo mágico chamado Avalon e que, nele, ela é uma fada. Depois de descobrir sua natureza não humana e enfrentar inimigos perigosos que queriam assassiná-la, a protagonista terá que lutar ao lado de seus amigos para evitar que Avalon seja destruída. Ao mesmo tempo, um momento crucial se aproxima na vida da jovem: ela terá de decidir, de uma vez por todas, entre o amor do humano David e o elfo Tamani. Ao produzir uma teia unindo mitologia e realismo, Aprilynne criou uma série incrível, emocionante e absolutamente maravilhosa. E, em virtude do realismo criado por ela e da narrativa intensa, o leitor terá a nítida sensação de estar na mente de Laurel, habitando o mundo mágico de Avalon.






Lançamento