quinta-feira, 27 de setembro de 2012

O portal de Glasruhen (Vol. 2) Título Original: Glasruhen gate de Catherine Cooper




O portal de Glasruhen (Vol. 2)

Título Original:     Glasruhen gate

de Catherine Cooper

Tradutor:     Maria de Fátima Oliva do Coutto

Coleção:     As aventuras de Jack Brenin
Páginas:     238
Formato:     16 x 23 cm


O LIVRO

A mistura perfeita de magia, mitologia, mistério e imaginação

Após o sucesso de A noz de ouro, Catherine Cooper apresenta O Portal de Glasruhen, a esperada sequência da série As Aventuras de Jack Brenin. Presente nas principais listas de mais vendidos da Inglaterra, o livro possui uma leitura dinâmica para adultos e uma brilhante introdução no gênero de fantasia para os mais jovens.

Os personagens, assim como a própria história, amadureceram neste segundo volume e, aliado ao suspense presente até a última página, compõem um romance que marcará gerações.

Vencedor, em 2010, do prêmio britânico para autores nunca publicados (Brit Writers Awards), com o livro A Noz de Ouro, ao concorrer com mais de vinte mil candidatos, Catherine Cooper traz de volta toda a beleza da mitologia celta em uma aventura para leitores de todas as idades.

Com a noz, sua varinha e novas habilidades, Jack Brenin está de volta e precisa completar sua missão: salvar Arrana, a Hamadríade (a árvore de vida) e todas as outras árvores. Durante essa jornada, o leitor conhecerá mitos nunca abordados por livros de fantasia.

Saiba mais em www.asaventurasdejackbrenin.com.br



A CRITICA
“O leitor é fisgado já nos primeiros capítulos, e é bom ficar avisado: é o tipo de aventura que prende tanto que nos faz perder o ponto de ônibus!”  - BBC

“A narrativa é acessível e flui. Os personagens são construídos com muita habilidade, e a trama, amarrada com destreza. Uma leitura prazerosa.”  - thebookbag.com

A AUTORA

Catherine Cooper

Nascida em Wellinton, Shropshire, Catherine Cooper foi professora primária durante 29 anos antes de decidir que adoraria escrever para crianças. Até o momento, publicou três livros que promoveu e distribuiu sozinha. O amor de Catherine por história, mitos e lendas e pela região rural de Shropshire ganham brilho graças a suas encantadoras histórias.


Leia ainda
A noz de ouro (Vol. 1)
Catherine Cooper
R$ 29,00
   

Na teia do morcego de Jorge Miguel Marinho





Na teia do morcego

de Jorge Miguel Marinho





    16 x 23cm

    Nº de páginas:256

    Cores:4×4


Se o herói desta inquietante narrativa é ou não o mesmo Batman das histórias em quadrinhos, este é o grande desafio para o leitor. Será que o conhecido Cavaleiro das Trevas se mudou para o centro de São Paulo e, por razões íntimas, não pretende retornar a Gotham City?

Neste livro ele revela a sua máscara mais humana e vive uma aguda crise existencial: ser ou não ser herói. Pode ser ele o assassino de Abigail Aparecida Chaud ou qualquer um dos outros personagens que são flagrados por uma luneta cruel e formam um painel, vivendo na atmosfera agitada e penumbrosa de uma metrópole igualmente cruel. Jovens curiosos, velhos solitários, pessoas desvalidas, seres entusiasmados e tantos outros, todos eles são suspeitos do crime e vítimas da existência pelo simples fato de existir.

Quem narra é igualmente suspeito porque se esconde numa “teia” dos mais diversos meios de comunicação: cartas, diário, telefonemas, telegramas, internet, gravações, notícias de jornal, de rádio, de televisão e até uma ata de condômino. E o leitor não fica imune a esta trama tão estranha e tão familiar – é convidado e convocado a entrar na história e agir.

O AUTOR
Jorge Miguel Marinho


Cursou Letras e mestrado na USP, é professor de Literatura, coordenador de oficinas de criação literária, roteirista e ator. Pela Editora Biruta publicou os livros Uma História, Mais Outra e Mais Outra e Lis no Peito. Este último foi premiado em 2006 pela CBL com o Jabuti de melhor livro juvenil do ano e projeto gráfico, pela FNLIJ com o prêmio Orígenes Lessa de melhor livro juvenil do Ano 2006, e pela Biblioteca de Munique recebeu o Prêmio White Ravens 2006, e o Selo Altamente Recoméndavel da FNLIJ 2006. Publicou também pela Editora Biruta A Visitação do Amor, Na Curva das Emoções e A Maldição do Olhar em 2008.

um lançamento

sábado, 22 de setembro de 2012

Os Orixás e a Natureza


Os Orixás e a Natureza 




 

de Raquel Trindade e Sandra Regina Félix
Ilustrador: Jefferson Galdino


Número de páginas: 40

Formato (cm): 17x25cm

Brasil e o continente africano estão profundamente ligados. Desde que os escravos negros cruzaram o Atlântico, trazidos principalmente pela Coroa portuguesa, vivemos uma mescla de referências culturais. Em nosso território, podemos facilmente encontrar manifestações da cultura europeia, indígena e negra, além das inúmeras ramificações que essa rica mistura originou.

Um dos aspectos mais relevantes da cultura negra no Brasil é o religioso. Em geral, quando os escravos chegavam aqui eram obrigados a seguir a religião do seu senhor, o catolicismo. No entanto, por meio de cultos privados e do sincretismo, eles encontraram uma maneira de manter e praticar sua fé de origem. Os orixás são as bases mais fortes dessa fé, além de representarem as forças da natureza, como a água, o fogo, o ar e a terra. Segundo as religiões africanas, quando essas forças estão em equilíbrio produzem uma enorme energia chamada axé. Com essa coleção, composta por três volumes, a Noovha América pretende resgatar a importância dessa cultura em nosso território, além de desmistificar sensos comuns. Com textos leves e explicativos, o volume 1 nos ensina sobre os orixás Exu, Ogum, Omolu, Xangô e Iansã. O volume 2 nos mostra os orixás Obá, Oxóssi, Logunedé, Oxumaré, Ossaim e Ewá e o volume 3 traz Oxum, Iemanjá, Nanã, Oxaguiã e Oxalá. Os três volumes nos ensinam que os orixás podem ser nossos amigos, promovendo a cura do corpo e da alma. Aos leitores, muito axé!




ENTENDENDO A CULTURA


Orixás são elementos da natureza, cada orixá representa uma força da natureza.
Quando cultuamos nossos orixás, cultuamos também as forças elementares oriundas da água, da terra, do ar, do fogo, etc. Essas forças em equilíbrio, produzem uma enorme energia (asé), que nos auxilia em nosso dia a dia, ajudando para que nosso destino se torne cada vez mais favorável.
Sendo assim, quando dizemos que adoramos deuses, nós nos referimos a estarmos adorando as forças da natureza, forças essas pertencentes a criação do grande pai. Pai esse conhecido por nós como "Ólorun"ou Olodumaré (Deus supremo).

No Brasil, erroneamente,  diz-se que Oxalá é o pai maior. Na verdade, Oxalá é um dos mais velhos, Orixá Fun Fun* (Nota: quando nos referirmos a Ifá/Iyami, a fim de não criar confusões, pedimos que visitem o nosso portal Matriz Afro para ter esclarecimentos mais abrangente e técnicos sobre a senhoridade e Cronologia) Orisála por ser sincretizado no Brasil com Jesus Cristo, é cultuado como  "Orisá maior",  no Brasil o mais respeitado e o mais velho entre os Orixás.

A grande maioria das nações africanas anterior a era cristã, conheciam a existência de Ólorun como grande criador, ser fundamental.
Acreditamos que nosso Deus "é o todo". E o todo é a natureza e seus integrantes (animais, vegetais, homens, planetas, etc.);

Nota: Olorun está acima da vaidade pessoal e de religiões que buscam sempre monopolizar o seu poder.

Nosso Deus jamais pune seus filhos tão pouco os condena a fogueira eterna, também, nunca os entregou ao seu maior inimigo (Satanás) após cometer erros divinos chamado de pecados eternos, nosso Deus não destrói países e não aniquila civilizações de filhos amados por ciúmes quando não adorado, amado ou seguido...
Como pai, jamais deixaria de perdoar meus filhos, tão pouco, condenaria-os ao extermínio por erros que cometem ou possam cometer.
O verdadeiro pai perdoa, ensina, ama e protege seus filhos.
Portanto, nosso Deus é um pai mais perfeito que qualquer outro pai... Tão perfeito e superior que que não conseguimos associar-lo a imagens, planetas, Orixás, pessoas, etc. Nosso Deus é Universal, é um  "todo" inimaginável em forma,sexo, mas, sentido em energia e fé. Pois tudo a ele pertence e tudo dele nasce.

Como já havíamos comentado, nosso panteão nada mais é que a junção das energias de todo os elementos da natureza, cada elemento e força da natureza é por nós representado por um "Orixá", um antepassado divinizado, e cada energia se revela em caminhos através de "Odús", estes interpretados  por nossos sacerdotes que são iniciados em IFÄ e por anosm preparados para a intepretação, com fundamentos filosóficos e espirituais.
Orisá  não se limita ao Africano porém, por ser a África o berço da civilização humana, de lá nasceram as mais antigas energias, por muitas ramificações e associações como ZEUS(Grécia) a XANGÔ(Sango): Áres Deus da Guerra (Ogun); etc... A perpetuação do culto aos nossos Orixás se fazem presentes Hoje. Pois é a mais antiga e única religião ancestral que ainda se permanece viva e fiel a origem em filosofia e culto com muita aproximação ao seu berço cultural na Äfrica; que possui  a mais variada seguimentação de cultos associados e adaptados a culturas regionais de diversos países, como no Brasil onde possúi na maioria de seus cultos a Orixá, mesclagem com espiritismo, catolicismo, pajelança, catimbó etc. Ex: a Umbanda.
Outras,  mantendo-se fiel às origens, porém, buscando cada vez mais o resgate de conceitos e, "ingredientes filosóficos e espirituais" junto a Babalaôs e Oluwos africanos que vem ao Brasil e contribuem com a nossa cultura com ensinamentos que pelos séculos, aqui foram mesclados ou naturalmente distorcidos. Não podemos deixar de mencionar que muitos Babalaôs ficam espantados ao ver que ainda se mantém viva, nestes países, nomes, rezas, Orisás que a muito na Äfrica foram esquecidos e, mesmo com a modificação natural de cultuação pelas adaptações regionais/culturais em relação ao seu culto original, a lembrança e a perpetuação do nome e origem, ainda podem ser encontrados nestes cultos descendentes.
É  comum no Brasil associarmos pessoas  a influências de um ou dois Orixás específicos, dizendo-se  que a mesma rececebe esta energia e que isso  justifica a maioria de sua conduta e atos.
De certa forma, não é  inverdade esta associação, pois realmente Orisá exerce influência a quem está sobre o designio da sua energia em seu caminho. Porém, não podemos dizer que a pessoa que está sendo regida por determinado Orixá, que este mesmo seja FILHO exclusivo, pertencente  ao mesmo e, que por sua vez, seu destino esteja ligado as vontades do Orisá. Nossas vontades são regidas por nossa consiência, e nossa consciência alimentada por nosso ORI (Nosso Deus/Nosso EU) cujo as nossas escolhas e atos estão intrisecamente ligados a nossa personalidade e caráter, tais qualidades que Orisá algum têm o poder de modificar sem que nosso Ori esteja em harmonia com o universo.




As Aventuras do Caça Feitiço Vol. 6 de Joseph Henry Delaney




O Sacrifício

As Aventuras do Caça Feitiço Vol. 6

de Joseph Henry Delaney


Em O Sacrifício, sexto volume de As Aventuras do Caça-Feitiço, Joseph Delaney, escritor bestseller na Grã-Bretanha, apresenta o capítulo mais sinistro e desafiador da série até agora. Por meio de personagens cativantes e uma trama assustadora, o autor prova que uma história, quando bem-contada, pode se tornar um marco.

As Aventuras do Caça-Feitiço conseguiu um feito grandioso: ter um enorme séquito de fãs anos antes dos livros serem adaptados para o cinema e de outras séries tornarem-se mania mundial. Aliás, o primeiro volume chega às telas de todo mundo em 2013 com um elenco estelar. Nas histórias, Delaney traz Thomas Ward, o sétimo filho de um sétimo filho que se tornou aprendiz do Caça-Feitiço. Desde então, suas missões são árduas, pois o mestre é um homem frio e distante, e muitos alunos já fracassaram.

Dessa vez, a mãe de Tom precisa da ajuda do filho para evitar que sua terra natal, a Grécia, seja dominada por Ordeen, uma das mais poderosas deusas antigas. Além disso, é necessário impedir que o Maligno e a deusa se aliem, ou o mundo sofrerá uma nova era de trevas. Para o combate, estarão juntas criaturas poderosas. O único problema: entre elas estão as feiticeiras de Pendle, inimigas mortais que Tom jurou nunca se aliar.

Ogros, feiticeiras e criaturas malignas estão à espreita. Por isso, vale lembrar: evite ler este livro à noite!

 O AUTOR


Joseph Henry Delaney, conhecido como Joseph Delaney, é um ex-educador e, atualmente, um autor de ficção científica e livros de fantasia. Delaney aposentou-se de sua posição como um educador, a fim de dedicar suas energias na carreira de escritor em tempo integral. Ele mora em Lancashire, Inglaterra, com sua mulher. Tem três filhos e quatro netos.



LANÇAMENTO




 

sexta-feira, 14 de setembro de 2012

Gaivota, novo selo de edições da Editora Biruta, terá evento de lançamento


clique para
ampliar

A Editora Gaivota, o novo selo da Editora Biruta, terá seu lançamento oficial na Livraria da Vila do Shopping JK, em São Paulo, no dia 22 de Setembro, das 15 às 18hs.
A Editora Gaivota, assim como a Biruta, tem seu foco editorial voltado para o público infantojuvenil e mantém as premissas de qualidade literária, ilustrações instigantes e projetos gráficos ousados, além de desenvolver projetos que abordem temas de diferentes áreas do conhecimento, de forma a despertar a atenção e a curiosidade dos leitores. Segundo Eny Maia, sócia-diretora das editoras “A abordagem lúdica de temas, muitas vezes considerados herméticos, complexos ou desinteressantes, pode contribuir – como um trampolim – para facilitar sua compreensão e estimular o interesse do leitor.”. 
Para representar a Editora Gaivota e celebrar seu nascimento, o lançamento contará com a presença de três autores, vindos de diferentes estados brasileiros: Jorge Miguel Marinho (SP), Socorro Acioli (CE) e Luiz Antonio Aguiar (RJ), respectivamente com os livros Na Teia do Morcego, Ela tem olhos de céu e O Menino e o Grifo.  Numa referência simbólica ao nome e logotipo da nova editora,  as crianças serão convidadas a produzir gaivotas com materiais variados, no espaço infantil da livraria.

20/10 HÉLIO ZISKIND E A TURMA DE COCORICÓ EM SHOW NO PAIOL !


Hélio Ziskind e a Turma do Cocoricó em

SHOW NO PAIOL!

Comemorando os  15 anos do memorável programa infantil,

a gravadora MCD lança o DVD "SHOW NO PAIOL".

Gravado no cenário do programa Cocoricó,

nos estúdios da TV Cultura, no DVD Hélio e seus músicos

cantam e brincam com os personagens do programa.



Para o lançamento, serão realizados 3 shows com a participação dos bonecos e seus criadores.



O DVD Show no Paiol! comemora 15 anos de um encontro  cheio de acertos, prêmios e amizades que brotaram dentro da realização do programa Cocoricó, um marco na programação infantil brasileira exibido pela Tv Cultura.



Em outubro de 2011, o músico Hélio Ziskind , que assina a trilha sonora dos primeiros 10 anos de programa, e sua banda, foram convidados para entrar no Paiol, cenário do programa que pela primeira vez em 15 anos recebeu a visita de humanos.





Entre conversas e brincadeiras foram gravadas 16 canções que fazem parte da trilha sonora do Cocoricó.  Esta gravação se tornou um programa, que foi exibido em dezembro de 2011 pela Tv Cultura, e chega agora ao DVD, lançado pela gravadora MCD.



Cocoricó reune um excelente roteiro, interpretado por simpáticos bonecos de espuma, manipulados com perfeição e sensibilidade, à trilha sonora impecável e inesquecível.






O programa gira em torno de Júlio, um menino de 8 anos que nasceu na cidade grande e que, ao passar as férias com seus avós, se apaixona pela Fazenda Cocoricó, seus animais e pela natureza. Durante os vários capítulos desta história, Júlio foi formando uma grande turma neste paiol, como as galinhas Lilica, Lola e Zazá.



3 shows irão comemorar o lançamento

O DVD chega as lojas no final de setembro de 2012. Além de uma agenda de lançamento, que inclui vários pockets shows gratuitos que reunirão Ziskind com um dos personagens do Programa Cocoricó,  3 espetáculos inéditos  irão reviver esse encontro memorável e raro.



Nos dias 20 e 21 de outubro, o palco do Sesc Vila Mariana vai se transformar no paiol da Fazenda Cocoricó e receberá a visita de Hélio Ziskind, sua banda e os principais personagens do programa. Os bonecos, elaborados em tamanho maior para as apresentações em teatro, serão manipulados pelos próprios atores que dão vida aos personagens na TV, ganhando suas vozes originais também no palco.



Esse encontro é fruto de um esforço conjunto, motivado em grande parte pela amizade e pelo orgulho que  unem  toda a equipe resposnável pelo programa  Cocoricó.



Um show que, além de inédito, não deve se repetir,  já que o trabalho dos atores e personagens na TV Cultura é intenso e diário.   “Podem apostar:  tanto para os artistas como para o público, será um show inesquecível”, fala Hélio Ziskind sobre o projeto.



Ficha Técnica do DVD

Direção e Produção:

Produção Executiva:

Gravadora : MCD

Sugestão de Preço: entre  R$ 27,90 e R$ 29,90.

Duração 52:27 min

Legendas: Espanhol, ingles e portugues

Previsão de chegada às lojas:  final de setembro de 2012

À venda nas melhores lojas e livrarias do país



Serviço dos 3 shows ao vivo

Hélio Zizkind e a Turma do Cocoricó

SHOW NO PAIOL!

Dias 20 e 21 de outubro

Sábado às 16h e 19h; domingo às 18h

Censura:  Livre

Duração do show: 1h 15

Preço: R$ 16,00 inteira / R$ 8,00 - usuário usuário inscrito no SESC e dependentes, +60 anos, professores da rede pública de ensino e estudantes com comprovante / R$ 4,00 -  trabalhador no comércio de bens, serviços e turismo matriculado no SESC e dependentes

Ingressos à venda a partir de 28/9, às 14h , pelo sistema ingressosesc

Sesc Vila Mariana

Teatro

Rua Pelotas, 141 - Vila Mariana São Paulo,
Tel: 11 5080-3000
   


Sobre Hélio Ziskind

Hélio Ziskind, 56, nasceu em São Paulo. É músico, atua como compositor, arranjador e intéprete. Formado em composição pela Universidade de São Paulo, trabalha com música para crianças, projetos educacionais, trilhas sonoras para dança, teatro, tv, rádio e cinema.

Através de seu selo, vem lançando Cds de música para crianças, tendo já recebido  três Prêmios Sharp por CDs infantis. Tem seis CDs lançados: “Meu Pé Meu Querido Pé” (1998) e “O Gigante da Floresta” (2000), também lançado na França e Canadá com o título de "Le Geant de la Foret",  C"antigas de Roda "(2004), "Trem Maluco" (2006),

"Coração de 5 Pontas"(2009) e "O Elefante e a Joaninha" (2010). Lançou o livro-cd , “Banho é Bom”, pela editora Salamandra. Conhecido como autor de temas para os programas infantis da TV Cultura de São Paulo (Cocoricó, Castelo Ratimbum, entre outros).


Espetáculo musical para crianças no Portão Cultural



As cantoras Viviana Mena e Andréa Bernardini apresentam neste fim de semana, no auditório Antonio Carlos Kraide – Portão Cultural, o espetáculo “Ave, Crianças!”, que reúne músicas do repertório popular infantil. São cantigas de roda, canções folclóricas brasileiras e composições de Andréa Bernardini. Os temas abordados nas canções promovem por meio de mitos e lendas uma identificação com aspectos da identidade cultural brasileira. As apresentações acontecem sábado e domingo (15 e 16), às 16h, com entrada gratuita.



Serviço:

Show “Ave, crianças!”, com Viviana Mena e Andréa Bernardini

Local: Auditório Antonio Carlos Kraide – Portão Cultural (Av. República Argentina, 3430)

Datas: 15 e 16 de setembro (sábado e domingo), às 16h

Entrada franca