sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

SUCESSO EM 2013 !




Agradecemos aos nossos leitores, amigos e parceiros os votos de boas festas e comunicamos que este site voltará às suas atividades normais na quarta-feira , dia 2 de janeiro de 2013.

sábado, 15 de dezembro de 2012

A LITERATURA INFANTIL MARRON DE TERRA DE LIA ZATZ


As populações negras brasileiras têm buscado formas de falar de si e do mundo e um dos pontos fundamentais diz respeito à maneira como as questões de raça são tratadas pela literatura e suas implicações para o desenvolvimento de políticas de promoção da igualdade racial. Esse processo de valorização temática e figurativa na construção de narrativas literárias produzidas por enunciadores criadores de uma poética ou uma literatura que pode ser chamada afro-brasileira. É bom que se lembre que em especial na literatura infanto-juvenil o negro foi ignorado por movimentos de feição nativista que fizeram do índio um símbolo da identidade do país, ainda que figurado como emblema de uma natureza exuberante e soberana, quase sempre vista à distância, como pano de fundo do ideal de nacionalidade. O trabalho de Lia Zatz é uma grande contribuição para a criação de um novo universo neste segmento da literatura infantil.

 
Luanda, filha de Iansã     
   de Lia Zatz
   com  Alexandre Teles
    21x22 cm
    24 páginas
    4x4
     
      Luanda era uma menina alegra até entrar para a escola. Aí, justamente quando ela pensava que teria mais e mais amigos, foi deixada de lado. Só a nova professora, a Lúcia que se vestia como as mulheres africanas, fez Luana voltar a sorrir.

Fez também a classe conhecer de fato a África: suas cidades,línguas, contos riquezas e pobrezas. Você gostaria de conhecer mais ainda a África?

   
Manu da Noite Enluarada   
   de Lia Zatz
   com  Alexandre Teles
    21x22 cm
    24 páginas
    4x4    
      Manu era um baita desenhista. No varal, onde a turma de Manu pendurava os desenhos, havia sempre um lugar especial, vago, esperando pelo desenho do artista.

Um dia, a professora pediu que desenhassem as famílias e Manu inventou que tinha o pulso doído e não podia trabalhar. Verdade é que não queria desenhar os cabelos dos irmãos, pai, mãe primos do jeito que eram.

Mas alguma coisa aconteceu entre este dia e a noite. E ele acabou fazendo um lindo desenho da família toda cada um com um penteado diferente e colocou no lugar de destaque. Você não está curioso para saber o que se passou?




Papí, o construtor de pipas    
   de Lia Zatz
   com  Alexandre Teles
    21x22 cm
    24 páginas
    4x4          
      Papí estava feliz, ia entrar para a escola e aprender a ler. Isto era tudo o que queria. A maior diversão de Papí sempre foi brincar com pipas. Seu grande desafio, agora, é conseguir ler as instruções para armar "certinho" as pipas maiores e coloridas como as das águias.

Vamos torcer pelo sucesso de Papí?

Tenka, preta pretinha    
  
   de Lia Zatz
   com  Alexandre Teles
    21x22 cm
    24 páginas
   4x4

      Você já brincou de beijo-abraço-aperto-de-mão? Pois é a brincadeira preferida dos amigos de Tenka. Ela sempre é escolhida para comandar a roda porque conhece os segredos de amor dos amigos.

Ela é assim mesmo, mas de uma hora para outra aconteceu uma coisa: Tenka começou a ficar muito, muito tristonha. Foi então que Tenka pensou: por que só ela não tinha namorado se era tão querida?


Uana e Marrom de Terra
   
  de Lia Zatz
   com  Alexandre Teles
    21x22 cm
    24 páginas
    4x4  
          Uana sentiu muito medo, sozinha naquele quartinho de hospital. Que medo! Só a visita dos pais acabou com a tristeza de Uana. Ganhou uma linda boneca. Primeiro foi só alegria, depois tristeza. E se os colegas chamassem a boneca de "boneca de pixe" e só a deixassem ser a empregada da casa?

Uana foi ficando brava e resolveu reagir. Aí aconteceu um fato mágico e a boneca também reagiu. O que será que aconteceu mesmo?



A AUTORA
Lia Zatz é formada em filosofia pela Universidade de Paris e pós-graduada em Ciência Política pela Universidade de São Paulo. Recebeu por duas vezes o Prêmio APCA de melhor autor de literatura infantil, o Prêmio Monteiro Lobato promovido pela Academia Brasileira de Literatura Infantil e Juvenil (1990), constou do White Ravens, Catálogo Oficial da Biblioteca Internacional de Munique, ganhou a Menção no prêmio Espace Enfants (Suíça).

Publicou pela Editora Biruta os livros Dona Magnólia Roxa e Ser ou Não ser: eis a questão, Tô com Fome e O Cachecol. Publicou em 2007 os 5 títulos da série Marrom de Terra: Uana e marrom de terra, Tenka, preta, pretinha; Luanda filha de Iansã; Manu da Noite Enluarada e Papí o construtor de Pipas.


O ILUSTRADOR
Alexandre Teles
 é desenhista e artista gráfico. Ilustrou para a Editora Biruta a Série Alimentação Saudável de Almir Correia, e Uma História e Mais outra e Mais outra de Jorge Miguel Marinho, e a coleção Marrom de Terra de Lia Zatz.

um lançamento

Na teia do morcego de Jorge Miguel Marinho


Na teia do morcego

de Jorge Miguel Marinho


•Dimensões:
16 x 23cm

•Nº de páginas:
256


•Cores:
4×4



Quase um livro objeto, como muitos outras saidos das mãos dos editores da Gaivota e Biruta. Impactante, um livro jovem, pouco sisudo mas muito sério (E.C.)


Se o herói desta inquietante narrativa é ou não o mesmo Batman das histórias em quadrinhos, este é o grande desafio para o leitor. Será que o conhecido Cavaleiro das Trevas se mudou para o centro de São Paulo e, por razões íntimas, não pretende retornar a Gotham City?

Neste livro ele revela a sua máscara mais humana e vive uma aguda crise existencial: ser ou não ser herói. Pode ser ele o assassino de Abigail Aparecida Chaud ou qualquer um dos outros personagens que são flagrados por uma luneta cruel e formam um painel, vivendo na atmosfera agitada e penumbrosa de uma metrópole igualmente cruel. Jovens curiosos, velhos solitários, pessoas desvalidas, seres entusiasmados e tantos outros, todos eles são suspeitos do crime e vítimas da existência pelo simples fato de existir.

Quem narra é igualmente suspeito porque se esconde numa “teia” dos mais diversos meios de comunicação: cartas, diário, telefonemas, telegramas, internet, gravações, notícias de jornal, de rádio, de televisão e até uma ata de condômino. E o leitor não fica imune a esta trama tão estranha e tão familiar – é convidado e convocado a entrar na história e agir.



O AUTOR
Jorge Miguel Marinho
Cursou Letras e mestrado na USP, é professor de Literatura, coordenador de oficinas de criação literária, roteirista e ator. Pela Editora Biruta publicou os livros Uma História, Mais Outra e Mais Outra e Lis no Peito. Este último foi premiado em 2006 pela CBL com o Jabuti de melhor livro juvenil do ano e projeto gráfico, pela FNLIJ com o prêmio Orígenes Lessa de melhor livro juvenil do Ano 2006, e pela Biblioteca de Munique recebeu o Prêmio White Ravens 2006, e o Selo Altamente Recoméndavel da FNLIJ 2006. Publicou também pela Editora Biruta A Visitação do Amor, Na Curva das Emoções e A Maldição do Olhar em 2008.



um lançamento

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Patati Patatá participam do DVD de Atchim & Espirro

 

 

 
Os palhaços Patati Patatá são amigos de Atchim & Espirro há muitos anos. Desde que decidiram gravar o DVD, Atchim e Espirro pensaram em convidar Patati Patata e eles toparam na hora. E nada melhor do que a canção “Amigos do Peito” para ilustrar essa amizade. Clássico da Turma do Balão Mágico, a música é cantada pelos 4 palhaços no DVD “Atchim e Espirro e A Turma da Casa de Chocolate” e já está disponível na internet: http://www.youtube.com/watch?v=NyM5nwVCOj4&feature=plcp.
O DVD “Atchim & Espirro e A Turma da Casa de Chocolate” tem direção geral de Marcos Maynard e Guto Campos e será lançado pela ArtMix / Maynard Music e distribuído pela Radar Records.

terça-feira, 4 de dezembro de 2012

Musica piscina de bolinha - Pe Lu da banda Restart compõe música para a dupla Atchim & Espirro


Pe Lu da Restart compõe música para o primeiro DVD dos palhaços Atchim & Espirro

Guitarrista e vocalista da Restart, Pe Lu compôs uma música para o primeiro DVD dos palhaços Atchim & Espirro. “Vem se Divertir” tem como co-autor Cesar Assolant, e estará no DVD e CD “Atchim & Espirro e A Turma da Casa de Chocolate”, a ser lançado ainda este ano.

Pe Lu adorou a experiência. “Compor música infantil é incrível e complexo! Complexo porque é desafiador criar algo inocente mas não bobo e incrível porque acabou despertando em mim sentimentos antigos. Fiquei muito feliz ao ver a música pronta e sei que o DVD vai ser um sucesso!” – comentou.

O DVD e CD “Atchim & Espirro e A Turma da Casa de Chocolate” tem direção geral de Marcos Maynard e Guto Campos e será lançado pela ArtMix/Maynard Music com distribuição da Radar Records, a partir de 03 de dezembro.

O vídeo de “Vem se Divertir” já está disponível na internet: http://www.youtube.com/watch?v=KCmOE9-6CC0

Mais informações: http://www.atchimeespirrooficial.com.br


Pe Lu da banda Restart compõe música para a dupla Atchim & Espirro


segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

O azarão - The Underdog de Markus Zusak



O azarão

Título Original:

de The Underdog 

Markus Zusak

Tradutora:
Ana Resende 
 Páginas:
176
O LIVRO

Este é na verdade o romance de estría de Markus Zusak . Antes de tornar-se mundialmente conhecido, Markus Zusak escreveu uma trilogia de sucesso que somente agora está sendo publicada no Brasil. O primeiro título chama-se O azarão. Fãs de A menina que roubava livros não podem deixar de ler os romances que iniciaram a carreira estelar desse autor.

Narrado em primeira pessoa, o livro apresenta a história de Cameron Wolfe, um garoto de 15 anos perdido na vida e que vive às turras com a família. Trabalha com o pai encanador e sua mãe está sempre brigando com os filhos. Todos moram juntos numa casa pequena.

Steve é o mais velho e mais bem-sucedido. Sarah é a segunda, e está sempre dando uns amassos com o namorado. Rube é o terceiro e o mais próximo de Cameron. Os dois, além de boxeadores amadores, vivem armando esquemas para roubar lojas e outros locais do tipo. Contudo, os planos nunca saem do papel.

Uma história sobre a vida e sobre as lições que dela podem ser tiradas. Um romance de formação que exibe um jovem incorrigível, infeliz consigo mesmo e com sua vida.

“Tento ser humano em minha escrita. Comecei a escrever porque era o caminho natural. Durante o ensino médio eu era muito introvertido. Sempre tinha histórias na cabeça. Então, comecei a escrevê-las.” (Markus Zusak)

A CRITICA
“Os leitores irão amar e admirar os personagens desse livro que é um tesouro.” (New York Times)
O AUTOR

Markus Frank Zusak (Sydney, 23 de junho de 1975) é um escritor australiano, famoso pelo seu best-seller internacional "A Menina que Roubava Livros".
Mais novo de quatro filhos de um austríaco e uma alemã, Markus cresceu ouvindo histórias a respeito da Alemanha Nazista, sobre o bombardeio de Munique e sobre judeus marchando pela pequena cidade alemã de sua mãe. Ele sempre soube que essa era uma história que ele queria contar.
"Nós temos essas imagens das marchas em fila de garotos e dos 'Heil Hitlers' e essa ideia de que todos na Alemanha estavam nisso juntos. Mas ainda havia crianças rebeldes e pessoas que não seguiam as regras e pessoas que esconderam judeus e outras pessoas em suas casas. Então eis outro lado da Alemanha Nazista", disse Zusak numa entrevista com o The Sydney Morning Herald.
Aos 30 anos, Zusak já se firmou como um dos mais inovadores e poéticos romancistas dos dias de hoje. Com a publicação de "A Menina que Roubava Livros", ele foi batizado como um "fenômeno literário" por críticos australianos e norte-americanos. Zusak é o autor vencedor do prêmio de quatro livros para jovens: "The Underdog", "Fighting Ruben Wolfe", "Getting the Girl", e "Eu Sou o Mensageiro", receptor de um Printz Honor em 2006 por excelência em literatura jovem. Markus Zusak vive em Sydney com sua esposa e sua filha. Gosta de surfar e assistir filmes em seu tempo livre.
SUA OBRA
  • Bridge of Clay (2009)[4]
  • The Book Thief (2006)
  • Getting the Girl (2003)
  • The Messenger (2002)
  • Fighting Ruben Wolfe (2001)
  • When Dogs Cry (2001)
  • The Underdog (1999)
Conheça um pouco mais o autor




 UM LANÇAMENTO





 

quarta-feira, 28 de novembro de 2012

GOD OF WAR A HISTORIA OFICIAL QUE DEU ORIGEM AO JOGO


GOD OF WAR

A HISTORIA OFICIAL QUE DEU ORIGEM AO JOGO

Formato: Livro
Autor: VARDEMAN, ROBERT E.
Autor: STOVER, MATTHEW
Tradutor: GASI, FLAVIA

384 páginas






Historia oficial que foi base de um dos mais famosos jogos da história.

1º Livro da Série God of War – Robert E. Abrams e Matthew Stover

Esta obra procura contar em detalhes a história de Kratos, guerreiro grego que trabalha para os deuses do Olimpo e, após ser manipulado pelo deus da guerra, almeja por vingança e por matar o próprio Ares, o deus da Guerra.

Kratos já ganhou uma minissérie em quadrinho, do selo Wildstorm, publicada no Brasil pela editora Panini, e  agora a editora Leya traz mais essa peça digna de um colecionador, para nossas mãos.

LEIA AQUI UM TRECHO DO LIVRO

Para totalmente leigos no assunto - Conheça aqui um pouco da primeira edição do jogo



LANÇAMENTO DA


MIL E QUINHENTOS: O ANO DO DESAPARECIMENTO de Alan Oliveira





                                             

 

 

                                                                                       MIL E QUINHENTOS: O ANO DO DESAPARECIMENTO

de Alan Oliveira


Dimensões: 16 x 23cm
Nº de páginas: 116

Cores: 2×2
Tipo de Leitor: Leitor Crítico


Não gostaria de soltar o verbo contra aquela senhora escocesa J. K. Rowling, autora da série Harry Potterque agora decidiu-se por escrever um livro digamos "adultil". Podemos até relembrar que o genial crítico americano Edmund Wilson  nunca foi "com os cornos" de  O título ficou então para o segundo lugar da lista: a trilogia O Senhor dos Anéis, do escritor britânico J.R.R. Tolkien e disse que a trilogia O Senhor dos Anéis "não passava de lixo juvenil". Mas em , de Alan Oliveirameio a tanta estultice que graça no campo do infanto-juvenil, um livro como "Mil e Quinhentos" - o ano do desaparecimento é uma perola.

Bom de texto, bom de trabalho grafico supreende até por colocar lo,go nas primeiras páginas "um lingua da terra" para que não se acredite que meus primos do além tejo foram os primeiros des-afortunados a quicar por nossas aprazíveis praias. (E.C.)

O LIVRO

Quando as grandes naus estão prestes a deixar Portugal rumo às Índias, em 1500, os irmãos Scalfi resolvem encarar o Atlântico. Juntos com um amigo francês, são escolhidos para viajar na embarcação principal de uma das expedições e acabam vivendo uma história emocionante e imprevisível. Lidar com perdas e enfrentar o desconhecido são apenas alguns dos desafios que eles têm de enfrentar.

Na narrativa de Alan Oliveira, Pedro Álvares Cabral e Pero Vaz de Caminha são apenas coadjuvantes de uma história envolvente, com doses certas de realidade, mistério e imaginação.




O AUTOR (por ele mesmo)
Alan Oliveira
Nasci em Belo Horizonte, na primavera do ano de 1959. Depois de rodar um pouco do litoral ao sertão, voltei a viver nesta cidade, enquanto não viro definitivamente um roceiro-escritor… ou um escritor-roceiro, ainda não sei quem vai vir primeiro.

Se me lembro bem, foi quando eu e um bando de outros alunos inquietos criamos um jornal na escola que nasceu o gosto por escrever, pois fazíamos pequenos (alguns grandes) artigos onde discutíamos questões do colégio e do mundo, resenhas culturais, etc. Daí para poesia, contos e estorietas foi um passo.

Então as coisas mudaram e eu fui viver no litoral e me esqueci de escrever. Depois fui viver numa casinha na roça e continuei me esquecendo de escrever. Mas lendo sempre, com uma paixão permanente, pois os livros desde cedo foram e continuam sendo grandes companheiros nesta jornada.

Quando depois as coisas mudaram novamente, voltei a escrever, e os livros começaram a sair um atrás do outro. Ganhei alguns prêmios literários importantes e também perdi vários, mas os livros continuam saindo, como este, por exemplo. Mil e Quinhentos é um livro que simplesmente adoro, pois acredito ter acertado na dosagem entre aventura e história, no peso correto de cada personagem dentro do texto, coisas assim, como um cozinheiro que, ao preparar um prato, fica satisfeito com a combinação dos temperos. E torce para que os outros pensem o mesmo.

Enfim, é ótimo ver este livro impresso e saber que seus personagens estão ganhando vida através dos leitores. Portanto, só posso esperar que, muito mais que informação histórica, ele desperte em vocês paixão, espírito crítico e, claro, que seja uma ótima diversão.


um lançamento

sábado, 24 de novembro de 2012

Atchim & Espirro lançam DVD com A Turma da Casa de Chocolate


Atchim & Espirro lançam DVD com A Turma da Casa de Chocolate
  
Fazendo sucesso há mais de 30 anos, Atchim & Espirro, os maiores palhaços do Brasil, vão lançar seu primeiro DVD com A Turma da Casa de Chocolate. 
A dupla faz palhaçadas, brinca e canta ao lado de Miss Cupcake, Zé Pirulito, Brigadeiro Tobias, Bolachinha, Choc Choc e Maria Casquinha. O musical se passa na Casa de Chocolate e eles apresentam hits como “É Tão Lindo”, “Ai Meu Nariz”, “Piuí Abacaxi/É de Chocolate/Uni Duni Te”, “Doce Mel/Ilariê/Tindolelê”, outros sucessos que eles mesmos lançaram como “Circo da Alegria”, “King-Kong e seu King-Konguinho” e “A Orquestra dos Bichos”, e ainda inéditas como a música de abertura “Casa de Chocolate” (Conrado Muylaert), entre outras surpresas.

O DVD “Atchim & Espirro e A Turma da Casa de Chocolate” tem direção geral de Marcos Maynard e Guto Campos, e será distribuído pela Radar Records, a partir de 03 de dezembro.

O vídeo de “Casa de Chocolate” já está disponível na internet:http://www.youtube.com/watch?v=dqi14LHEgtQ&feature=youtu.be

Mais informações: http://www.atchimeespirrooficial.com.br

6/12 JOGANDO NO QUINTAL NO NATAL DO CCBB


Jogando no Natal

Os palhaços do grupo Jogando no Quintal farão intervenções no Natal do CCBB,  de 6 a 16 de dezembro.


 


Musicas natalinas, Presepada e Papai Noel que atende aos pedidos dos adultos fazem parte da programação gratuita criada especialmente para a data.






O Centro Cultural Banco do Brasil convida para a sua programação especial de Natal, que este ano conta com a  presença dos palhaços que fazem parte do elenco do Jogando no Quintal, espetáculo de improviso que há 10 anos está em cartaz em São Paulo.

Com um olhar divertido sobre a data, a programação criada pela trupe irá apresentar três performances, em dias e horários  distintos, entre os dias 6 e  16 de dezembro.

Às quintas e sextas a trupe promete trazer o Papai Noel  ao CCBB para escutar e realizar o sonho dos adultos. Afinal, quem disse que Papai Noel é só para criancinhas?

Já aos  sábados e domingos, será apresentada pela manhã a Presepada, um presépio vivo- um tanto quanto... inusitado-. Na   parte da tarde os palhaços voltam com A Fabulosa Banda Natalina do Quintal , que fará um cortejo com as mais tradicionais canções natalinas. Para se divertir e soltar o gogó. 

Serviço

Jogando no Natal

Direção: Rhena de Faria

Supervisão artística: Cesar Gouvêa

de 06 a 16 de dezembro - de quinta a domingo

Quintas e sextas - intervenções de 30 minutos às 12h, 13h30 e 18h

Sábados e domingos – intervenções de 45 minutos

11h – Presepada

16h – A Fabulosa Banda Natalina do Quintal 

Elenco: Álvaro Lajes, Claudio Thebas, Cristiano Meireles, Denis Goyos, Ernani Sanchez, Eugênio La Salvia,  Igor Canova, Paola Musatti, Rhena de Faria, Teresa Gontijo e Vera Abbud.

Gratuito

Recomendação: Livre

Local: Centro Cultural Banco do Brasil

Área Externa e Térreo

Rua Álvares Penteado, 112 - Sé

Telefone: (0xx)11 3113-3651

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Mais Nancy Ventura com ilustrações de Bruno Gomes



Algum tempo atrás recomendei o livro - As Iamuricumãs e o Jakuí de Nancy Ventura com ilustrações de Bruno Gomes. Uma bela história que contava sobre um tempo um em que as índias Iamuricumãs tocavam uma flauta – o jakuí – todos os dias. Embaladas pelo delicioso som que o instrumento soprava, elas se divertiam bastante, sempre dançando e cantando. Mas, nessa época, nenhum homem podia vê-las nessa grande festa. Um dia, o Sol e a Lua perceberam alguma coisa errada e resolveram interferir ... Uma tocante história com fortes  traços de antropologia com destaque na questão do gênero. Pois bem, a prosa de Nancy Caruso Ventura volta a se encontrar com o inspirado e delicado traço e vigoroso pincel de Bruno Gomes e aqui está o resultado -

VANIVANÍ O DONO DAS ARARAS VERMELHAS
Nancy Ventura
Formato (cm): 21x28
Ilustrador: Bruno Gomes


Número de páginas: 32

Os índios da aldeia próxima ao Morená gostavam de se reunir, à tarde, para conversar. Um dia, apareceu entre eles uma linda ave vermelha. Era uma arara! Ela gostou tanto de mostrar sua beleza entre aqueles índios que acabou voltando muitas vezes.

O Sol, encantado com a arara, perguntou ao seu irmão, Lua, se ele a conhecia. Lua depois afirmou que aquela ave pertencia a Vanivaní. Então, os dois foram até ele e lhe pediram uma de suas araras de presente. Vanivaní tenderia ao pedido mediante algumas condições. Essa é uma das famosas lendas que são contadas na aldeia do povo Kamayurá.




e ainda

A ANTA , OS TRACAJÁS E AS ESTRELAS
Nancy Ventura
Formato (cm): 21x28
Ilustrador: Bruno Gomes


Número de páginas: 32


Os meninos de uma aldeia, lá no Morená, adoravam jeni-papo, que é um fruto bem gostoso mesmo. Era sempre uma festa subir na árvore e comer todos os que estavam maduros. Mas não eram só os meninos que gostavam de jenipapo. Uma velha anta também era fã do fruto.

Só que nunca sobrava nada para ela. Um dia, a anta ficou furiosa e aí começou o mistério e a aventura desta história, que é muito contada nas aldeias dos Kamayurá.


A AUTORA

NANCY CARUSO VENTURA
Nasci em São Paulo, em 26 de agosto de 1944.
Graduei-me em Pedagogia e trabalhei no Ensino Municipal de São Paulo por 33 anos.
Hoje trabalho em projetos pedagógicos na Noovha AméricaEditora.
Como autora, publiquei dois livros de referência sobre as etnias negra (Negro: reconstruindo nossa história) e indígena (Índio: recontando nossa história).
Junto à Aldeia Kamayurá, resgatei alguns contos e deles foram publicados Yrajang: a canoa encantada, A conquista do dia e As Iamuricumãs e o Jakuí.
Agora, como Vovó Nana, estou publicando a série infantil Geometria com Poesia, onde harmonizo geometria e rima poética.


O ILUSTRADOR

BRUNO GOMES
Nasceu em 1983, na cidade de Arapiraca, Alagoas. Desenha desde criança, incentivado pelo meu pai, e atualmente trabalha com ilustração, arte conceitual e 3D. É professor em um curso especializado em arte digital e criação de personagens para animação, games e cinema, na Escola Saga.
Sua paixão está em imaginar mundos exóticos, personagens cativantes e criar histórias fantásticas. Tem alguns projetos pessoais em andamento para livros e animações. Para ele, tem sido um prazer enorme ilustrar contos indígenas, cultura que, segundo ele, sempre admirou e que lhe serve de inspiração para tudo o que faz.










Carta de Abrahan Lincoln ao professor do seu filho






Caro professor, ele terá de aprender que nem todos os homens são justos, nem todos são verdadeiros, mas por favor diga-lhe que, para cada vilão há um  herói, para cada egoísta, há um líder dedicado.

Ensine-lhe por favor que para cada inimigo haverá também um amigo, ensine-lhe que mais vale uma moeda ganha que uma moeda encontrada.

Ensine-o a perder, mas também a saber gozar da vitória, afaste-o da inveja e dê-lhe a conhecer a alegria profunda do sorriso silencioso.

Faça-o maravilhar-se com os livros, mas deixe-o também perder-se com os pássaros no céu, as flores no campo, os montes e os vales.


Nas brincadeiras com os amigos, explique-lhe que a derrota honrosa vale mais que a vitória vergonhosa, ensine-o a acreditar em si, mesmo se sozinho contra todos.

Ensine-o a ser gentil com os gentis e duro com os duros, ensine-o a nunca entrar no comboio simplesmente porque os outros também entraram.

Ensine-o a ouvir todos, mas, na hora da verdade, a decidir sozinho, ensine-o a rir quando estiver triste e explique-lhe que por vezes os homens também choram.

Ensine-o a ignorar as multidões que reclamam sangue e a lutar só contra todos, se ele achar que tem razão.

Trate-o bem, mas não o mime, pois só o teste do fogo faz o verdadeiro aço, deixe-o ter a coragem de ser impaciente e a paciência de ser corajoso.

Transmita-lhe uma fé sublime no Criador e fé também em si, pois só assim poderá ter fé nos homens.

Eu sei que estou pedindo muito, mas veja o que pode fazer, caro professor."

Abraham Lincoln, 1830

quinta-feira, 15 de novembro de 2012

Pauline Alphen e clube de leitura




Tem post novo no Blog do Le-Heitor.



Heitor leu três livros da escritora meio brasileira e meio francesa Pauline Alphen, prepara um novo clube de leitura para o começo do próximo ano e conta tudo no blog: http://blogdoleheitor.sintaxe.com.br

Editora Biruta - Dia da Consciência Negra - Série "Marrom de Terra", de Lia Zatz


Para comemorar o Dia da Consciência Negra, a Editora Biruta chama a atenção para a Série “Marrom de Terra”, de Lia Zatz.
São cinco livros com a temática da discriminação racial em suas mais diversas formas, nos ambientes cotidianos.
CLIQUE PARA AMPLIAR
As obras pretendem incitar a discussão em torno desse tema que muitas vezes é tratado como tabu, mas que merece ser discutido e refletido.

VIAGEM DE AVENTURA PARA ADOLESCENTES AGÊNCIA VENTURAS


Agência Venturas organiza viagens

de férias para adolescentes com foco no ecoturismo



AVENTURA E APRENDIZADO

acompanhamento da Educadora Cristiane Lopes Kaulich



A partir de 13 anos

de 20 a 26 de Janeiro de 2013

PENINSULA DE MARAÚ




A agência Venturas oferece uma opção de férias diferente aos adolescentes. Ela organiza  Ecoacampamentos  que têm como objetivo proporcionar uma experiência marcante e recheada de atividades ao ar livre, num contraponto à  rotina tecnológica vivida durante todo o ano pelos adolescentes..

A integração, a superação de desafios, a distância de casa e as atividades inusitadas são enriquecedores e criam uma atmosfera de cumplicidade e companheirismo entre os participantes, que são acompanhados pela Educadora Cristiane Lopes Kaulich, que possui ampla experiência com adolescentes.

Realizadas há alguns anos nos meses de férias, julho e janeiro,  este grupo já fez trekking na Trilha do Ouro, andou de caiaque oceânico na Baia de Parati, nadou com botos na Amazônia, fez expedição com rafting no Jalapão, cavalgou nos Aparados da Serra, explorou Cavernas no Petar e fez um trekking pelo Vale do Pati na Chapada Diamantina e agora se prepara para explorar a deslumbrante natureza da península de Maraú, na Bahia.

INCLUSO:

- Traslados do Aeroporto de Ilhéus /Camumu /Aeroporto de Ilhéus;

- Traslado Camumu / Barra Grande / Camumu em lancha;

- Traslado Barra Grande / Pousada do Cassange / Barra Grande;

- Traslados internos para os passeios;

- 6 Noites de Hospedagem na Pousada Lagoa do Cassange com café da manhã - www.lagoadocassange.com.br;



- Refeições - 5 almoços e 6 jantares:

- Almoço a base de peixe e frango incluindo 01 bebida sem álcool.

- Jantar no restaurante da pousada: Buffet a base de peixe, frango, massas, saladas, frutos do mar e sopas, incluindo 01 uma bebida semálcool e 01 sobremesa.

-Psicopedagoga acompanhando o grupo desde SP (Cris Kaulich);

-Todos os passeios citados no roteiro;

-Guia Coordenador Venturas acompanhando desde SP a partir de 10 participantes;

-Guias Locais especializados em todos os atrativos;

- Brinde Venturas;



NÃO INCLUSO:

- passagem aérea;

- refeições e bebidas não mencionadas;

- Despesas Pessoais;

- Qualquer outro item não mencionado como incluso



Preço: parte terrestre R$ 2.790,00 por pessoa

Adicional Aéreo: R$ 960,00 por pessoa



www.venturas.com.br

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Os monstros do cartógrafo: O ataque da vampantera! (Vol. 2) Título Original: The mapmaker's monsters: Vampanther attack!


Os monstros do cartógrafo: O ataque da vampantera! (Vol. 2)

Título Original:     The mapmaker's monsters: Vampanther attack!

de  Rob Stevens


Tradutor:     Ana Resende



Coleção:    Os monstros do cartógrafo

Páginas:     400

Formato:     14 x 21 cm





A segunda de uma série de aventuras pelos quatro cantos do mundo

Piloto de uma companhia aérea, Rob Stevens concluiu seu primeiro livro, o premiado best seller Os monstros do cartógrafo: Cuidado com os bufalogros!, ao longo de várias viagens. Escrevendo novamente durante suas jornadas pelo mundo, o autor apresenta agora o segundo volume da série: O ataque da vampantera!.


O LIVRO
Uma história de aventura e fantasia que se passa em pleno século XV, a série Os monstros do cartógrafo, com ilustrações de Adam Stower, traz tramas emocionantes de superação e de demonstração do amadurecimento de um menino que agradarão leitores de todas as idades. Foi o que aconteceu na Inglaterra, quando se tornou leitura obrigatória entre alunos de colégios e de universidades.

Hugo está viajando outra vez. Ele vai para as montanhas sombrias da Transilvânia, um lugar que, literalmente, não está no mapa. Lá, nada é o que parece.

Para resgatar o amigo de seu tio e localizar o castelo oculto da terrível vampantera, Hugo contará com a ajuda de criaturas fantásticas e inacreditáveis: uma gata falante que prevê o futuro, um lobisomem bem agitado e um Abominável Orangofango. Além, é claro, de seu grande amigo Feroz, um rato falante e divertido.

Os monstros do cartógrafo: o ataque da vampantera! é uma história cheia de criaturas fantásticas, lugares incríveis, muito mistério e aventura.

A CRITICA
“Um escritor surpreendente.” - The Telegraph

O AUTOR
Rob Stevens
é um piloto da British Airways que escreve em quartos de hotel em todo o mundo. Os Monstros do Cartógrafo é sua primeira incursão em livros para jovens. Quando não está voando, vive em Dorset com a esposa e os dois filhos pequenos. Saiba mais em www.robstevens.co.uk


UM LANÇAMENTO






terça-feira, 30 de outubro de 2012

Editora Gaivota - O Menino e o Grifo, Luiz Antonio Aguiar


clique para ampliar

sábado, 27 de outubro de 2012

Cultura de Arnaldo Antunes


Cultura

de Arnaldo Antunes

Ilustrações de Thiago Lopes
No de Paginas: 48



Não se tem muito o que falar. Cultura é um dos melhores lançmentos de infanto juvenil do ano!
( E.C.)


Cultura estimula a aprendizagem visual. Sem radicalizar, Arnaldo Antunes interpreta e transforma palavras e rearranja significados.

Nas ilustrações de Thiago Lopes que interpretam o poema há cores e formas insinuando o que as palavras não dizem.








LANÇAMENTO

O Avião dos Sonhos de Heinz Janisch


O Avião dos Sonhos                

   de Heinz Janisch

   com Søren Jessen

    20x28 cm.
    32 páginas
    4x4
 

           
           
           
           
           
           
      O LIVRO    
      Samuel e eu passamos nossas tardes sentados em um banco. Não parece muito emocionante, mas é, posso garantir.

Você costuma encontrar por aí piratas, baleias voadoras ou lesmas-turbo? Nós encontramos todos os dias!

     O AUTOR
         
      Heinz Janisch nasceu em 1960 na Áustria. Publicou muitos livros tanto para crianças quanto para jovens que já foram traduzidos para mais de 12 países, inclusive para o Brasil. Recebeu diversos prêmios como:

Prêmio Poesia para crianças - Áustria, Austrian.

   
           O ILUSTRADOR
      Nasceu em Sonderborg, Dinamarca, em 1963. Em 1990 publicou seu primeiro titulo, um livro infantil chamado Dino rejser til byen. A partir dai recebeu diversos prêmios nacionais e internacionais – Itália, Áustria, Estados Unidos – como autor e ilustrador. Suas obras foram publicadas em vários paises, como Espanha, Coreia e China.



A Fome do Lobo de Cláudia Maria de Vasconcellos


A Fome do Lobo

de Cláudia Maria de Vasconcellos

Ilustrações de Odilon Moraes


O lobo é um bicho que impõe respeito. Um lobo faminto então, nem se fale. A fome do lobo é a história de um lobo que acordou com fome, com muita fome, e saiu pela floresta decidido a comer o primeiro que cruzasse o seu caminho. Mas esta fera só não podia imaginar que fazer uma simples refeição seria tão complicado.

Porque no seu caminho encontrou bichos espertos que, com um pouco de lábia, conseguiram tapeá-lo. Assim, A fome do lobo é um conto que tem inspiração em histórias antigas como Os três porquinhos, histórias que mostram os mais fracos argutamente enganarem e vencerem o vilão, mas vai além. Pois essa aqui é uma história de conciliação: ao fim e ao cabo, o que dissolve a tensão e encerra tudo num grand finale não é a astúcia, mas a bondade. Imagine que este lobo faminto - e cada vez mais feroz -, de tanto caminhar, chegue à sua casa, e entre na sua sala. O que você faria?

O que faria a sua família? A avó da narradora de A fome do lobo tem uma sacada incrível, mas para conhecê-la é preciso que você leia essa história.
LANÇAMENTO





sábado, 20 de outubro de 2012

“O BARBEIRO DE ERVILHA” APRESENTA ÓPERA DE ROSSINI E CULTURA NORDESTINA NO PALCO DA CAIXA CULTURAL CURITIBA




As artimanhas de Fígaro ganham um tom bem brasileiro em adaptação do clássico italiano

A CAIXA Cultural Curitiba apresenta o espetáculo “O Barbeiro de Ervilha”, dias 27 e 28 de outubro. A comédia musical para crianças é uma adaptação da ópera “Il Barbiere di Siviglia”, de Gioacchino Rossini, com libreto de Cesare Sterbini, baseado na comédia homônima de Pierre Caron de Beaumarchais.
As aventuras de Fígaro, o protagonista, se desenrolam em um novo cenário: o sertão, onde as personagens ganham feições do povo nordestino. A montagem, que mescla música erudita e popular, associa arranjos das mais conhecidas árias, duetos e coros da ópera de Rossini com os ritmos da música popular nordestina. Os números são tocados e cantados ao vivo pelos próprios atores ao som de sanfona, rabeca, viola, violão, flauta transversa e outros instrumentos. A montagem, vencedora do Prêmio Zilka Salaberry de Teatro Infantil 2010 na categoria melhor música, conta com a direção de Daniel Herz e tem classificação livre.

O texto da peça também é o fio condutor de uma oficina, ministrada pelo diretor Daniel Herz no sábado (27). Com duração de 2 horas, o encontro vai apresentar os tipos tradicionais da Commédia’Dell Arte italiana – um estilo de teatro popular, improvisado, criado no século XV em oposição ao chamado teatro “erudito”. A proposta é um convite às crianças e jovens entre 10 e 14 anos a ampliar o seu universo cultural e da sua visão de mundo. As inscrições são gratuitas e devem ser encaminhadas até o dia 23 de outubro para o e-mail caixacultural08.pr@caixa.gov.br. Vagas limitadas.


Serviço:
O Barbeiro de Ervilha
Local: CAIXA Cultural Curitiba – Rua Conselheiro Laurindo, 280, Curitiba (PR)
Data: 27 e 28 de outubro
Hora: Sábado 18h e domingo 15h e 18h
Ingressos: R$ 10 e R$ 5 (meia – conforme legislação e correntista CAIXA)
Oficina: dia 27 de outubro, das 14h às 16h, para crianças e jovens dos 10 aos 14 anos. Inscrições gratuitas e limitadas pelo email caixacultural08.pr@caixa.gov.br até dia 23 de outubro
Bilheteria: (41) 2118-5111 (de terça a sexta-feira das 12h às 20h, sábado das 16h às 20h e domingo das 16h às 19h)
Classificação etária: Livre para todos os públicos
Lotação máxima: 125 lugares (2 para cadeirantes)

terça-feira, 16 de outubro de 2012

Os Morcegos de Neide Simões de Mattos e Suzana Facchini Granato com Rubens Matuck





Os Morcegos        

   de Neide Simões de Mattos e Suzana Facchini Granato

   com Rubens Matuck

    20x26cm
    48 páginas
    4x4

   
           
           
           
           
           
           
         
      O que você sabe sobre morcegos?
Imagina criaturas assustadoras alimentando-se de sangue?

Bichos de ponta-cabeça em uma caverna sombria?

Esses animais estão em nosso imaginário e guardam muitos segredos. Neste livro você irá além da imaginação e conehcerá todos eles.

Onde vivem, como se reproduzem, o que comem, as diferentes espécies... e muito mais!



   
           OS AUTORES
      As biólogas Suzana Facchini Granato e Neide Simões de Mattos, formadas pela Universidade de São Paulo (USP), são educadoras experientes e também se dedicam a escrever obras didáticas e paradidáticas com o objetivo de despertar nos leitores o mesmo carinho e o prazer de observar a natureza.
   com     
      Rubens Matuck é artista plástico, escultor, escritor e faz desenho gráfico. É autor de mais de trinta livros infantis e em quinze deles cuidou não só das ilustrações como também do texto.

A fauna e a flora brasileira são os temas destes livros. Publicou pela Editora Biruta os títulos da Série Natureza Brasileira sobre animais em extinção e sobre as regiões do país. O Lobo-guará, A Baleia-corcunda, O Beija-flor-de-topete e A Ararajuba receberam o Prêmio Altamente Recomendável da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil (FNLIJ) em 2004. Sobre as regiões brasileiras foram publicados cinco títulos pela Editora Biruta: A Caatinga, O Pantanal, A Amazônia, O Cerrado e A Mata Atlântica.

Rubens Matuck recebeu prêmios como o Jabuti de Melhor Ilustração de Livro Infantil em 1993 e o Salon du Livre de Jeunesse (Paris, 1992).

um lançamento



EXPOSIÇÃO OS QUADRINHOS RUSSOS


clique para ampliar

quarta-feira, 10 de outubro de 2012

“Fios de prata: reconstruindo Sandman”, Raphael Draccon




“Fios de prata: reconstruindo Sandman”

de  Raphael Draccon

354 paginas



Fios de prata: reconstruindo Sandman (Raphael Draccon – Editora Leya) – Com uma linguagem bastante ágil, o autor conta a história de Mikael Santiago, que realizou o sonho de milhares de garotos. Aos 22 anos era o jogador brasileiro com o passe mais caro da história do futebol. Para muitos ele era um mito. Mas, enquanto dormia, seus sonhos o amedrontavam por questões sobrenaturais.


“Tu inspiraste Rowling, e foi nas terras de Morpheus que se moldou Hogwarts. Tu inspiraste Tolkien, e foi nas terras de Phantasos que se anexaram as extensões de Terra-Média. Tu inspiraste Lovecraft e em minhas terras se fixou Miskatonic. EntNão eu te pergunto com sinceridade, anjo: até onde vai tua vontade de ser coadjuvante em um mundo de formas e pensamentos?”

Há séculos, Madelein, atual madrinha das nove filhas de Zeus elevadas à categoria de Musas, tornou-se senhora de um condado no Sonhar, responsável por estimular os sonhos despertos dos mortais. Uma jogada ambiciosa, porém, para ascender de posição, acaba por iniciar uma guerra épica envolvendo os três deuses Morpheus, Phantasos e Phobetor, trazendo desordem a todo o planeta Terra.

Envolvido em sonhos lúcidos e viagens astrais perigosas, a busca de um sonhador pelo espírito de sua mulher no Inferno, entretanto, torna-se peça fundamental para resgatar elementos destruídos em uma guerra envolvendo manipulações oníricas, sonhos partidos, jornadas espirituais e o destino de mais de sete bilhões de sonhadores terrestres.

De Dante Alighieri a Alan Moore, de William Shakespeare a Neil Gaiman, Fios de Prata – Reconstruindo Sandman elabora uma epopeia moderna ao redor de uma declaração de amor à literatura fantástica e ao melhor dos sonhos humanos.
A Trama

O livro envolve a trama de um homem disposto a ir ao Inferno em busca do amor de uma mulher, ao redor de uma guerra de deuses, envolvendo sete bilhões de sonhadores terrestres.

Mikael Santiago, o Allejo, é o maior jogador de futebol do mundo, com uma habilidade considerada quase sobrenatural. Um fato constante, porém, faz com que suas noites de sono não sejam todas iguais: há 18 meses ele sofre diariamente de sonhos lúcidos em pesadelos intermináveis.

E Mikael não sabe, mas sua alma fora escolhida como a principal peça em um quebra-cabeça envolvendo uma disputa onírica em meio a intrigas, traições e conflitos de entidades extremamente soturnas e poderosas.
A Capa

A ilustração da capa foi feita por Kentaro Kanamoto, também artista da capa de “Ruas Estranhas“, e responsável pela criação de alguns cenários na série de games Assassin’s Creed.

A imagem reproduz de uma maneira muito impressionante o Sonhar tocando nas bordas dos planos inferiores, com a visão ao fundo do castelo de Morpheus.

Já o design e a direção de arte foram criadas pelo designer Rico Bacellar, também responsável por “Ruas Estranhas”.
Por que o título?

O fio de prata é a conexão que liga o nosso corpo espiritual ao nosso corpo físico quando dormimos.

Ele é o que diferencia o sonho da morte, já que, quando partido, o espírito não retorna ao corpo.
Por que o subtitulo?

O livro não se trata de uma releitura do Sandman de Neil Gaiman, mas de uma visão do Sonhar e suas entidades diferentes da apresentada por ele. Ele deu a interpretação dele sobre tais bases da mitologia grega em sua obra, eu dou a minha própria nessa daqui.

Entretanto, a obra de Gaiman no planeta Terra foi algo tão poderoso que passou a se confundir com a mitologia original, e isso é um dos estopins de metalinguagem que dá origem aos conflitos no Sonhar na história do livro, em meio a acontecimentos que entrelaçam ficção e fatos reais e alteram a realidade humana.
O que esperar desse novo livro?

Do rascunho inicial até a obra final que chega às mãos do leitores agora em agosto foram necessários sete anos de trabalho.

É uma história épica de fantasia urbana, apoiada em uma história de amor, permeada pelo melhor e o pior dos sonhos da humanidade terrestre.

Embora sejam completamente diferentes, é possível encontrar em suas camadas alguns dos mesmos elementos de construção da série Dragões de Éter, envolvendo forças no espírito humano tocando em dimensões que o mundo material não pode alcançar.

Além disso, assim como “A Invenção de Hugo Cabret” pode ser vista como uma grande ode à magia do cinema, “Fios de Prata – Reconstruindo Sandman” é minha própria ode não apenas à literatura fantástica e os autores que mudaram minha vida, mas a tudo o que sempre amei na própria fantasia como um todo.


O AUTORRaphael Draccon é roteirista profissional e autor de literatura fantástica contemporânea, ficção de horror e romances sobrenaturais. É o autor mais jovem a assinar com os braços nacionais de duas das maiores holdings editoriais do mundo, e roteirista premiado pela American Screenwriter Association.

LANÇAMENTO DA









sábado, 6 de outubro de 2012

RECOMENDANDO - Livros da Editora Biruta






Dois livros da Editora Biruta foram selecionados entre os dez finalistas do 54º Prêmio Jabuti, na categoria Juvenil. São eles:

“A Menina que não queria ser Top Model”, da autora Lia Zatz e ilustrado pela Casa Rex.



A mãe já tem o futuro traçado para a filha. Mas será que a filha compartilha os mesmos sonhos? Em “A menina que não queria ser top model”, Lia Zatz nos coloca diante da relação delicada e complicada entre mãe e filha.

Nessa narrativa, sensível e dinâmica, todos têm voz e querem contar sua história. Não existe o certo e o errado.

Apenas duas pessoas aprendendo a se conhecer e, ao mesmo tempo, a se relacionar uma com a outra e com o mundo.

E “O Baú do Tio Quim”, do autor Luiz Antonio Aguiar e ilustrado pela Casa Rex.

Quando o Baú do Tio Quim chegou, causou um bocado de assombro na família. Veio com um bilhete, escrito à mão, dirigido ao pai de Dedá:

Leandro, Pode guardar este baú para mim?

Qualquer hora eu passo para pegar. Um abraço, Quim Acontece que, pelo que a família sabia, Quim estava morto fazia muitos anos. A narrativa, cheia de mistérios e descobertas, nos leva para o mundo da imaginação e da fantasia.

Os dois livros trabalham com relações familiares e, apesar de tratarem de temas delicados, o fazem de maneira leve e divertida.