quarta-feira, 22 de junho de 2011

Lançamento - Voar Mais Alto



Voar Mais Alto

de Flávia Côrtes
com
Camila Matos
16,1x23 cm.
136 páginas



"O que mais impressiona neste livro é 0 jogo: uma história que caminha sinuosa, entre a realidade, o sonho e o devaneio. O que mais cativa nesta historia é a tentativa verdadeira de tornar o afeto um elo forte entre as pessoas: mãe, filho e o novo namorado da mãe.

O que mais dói nesta historia e o avião aeromodelado dependurado no teto, o voo nas costas do pai e a troca da faixa de judô: peças que tornam o menino Quequé o herói da sua própria historia. 0 que mais alegra nesta historia e a maneira leve, sensível, poética que a autora escolheu para tratar de assuntos tão sérios: uma construção alinhavada pela saudade.

E já que a alegria, algumas descobertas e a necessidade de aceitação fazem parte desta viagem, o que e preciso pra voar mais alto?"

escreve Celso Sisto


As Autoras
Flávia Côrtes
É carioca e vive no Rio de Janeiro, com marido e duas filhas. Formou-se em Literatura pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, onde também se especializou em Literatura Infantil e Juvenil. É tradutora e escreve livros para crianças e jovens.

Nasceu no século passado e deve ser daí que tirou a saudade e as ideias para essa história. Apaixonada pelos livros, aprendeu a ler muito cedo. Aos seis anos começou a escrever e não pretende parar tão cedo.

Para saber mais sobre o seu trabalho, visite seu site:

www.flaviacortes.com.br


Camila Matos
Mora no interior do Espírito Santo, em Cachoeiro de Itapemirim. Sempre gostou de desenhos animados e todo tipo de obra de humor gráfico (charge, caricatura). Até os 17 anos tinha a idéia fixa de ser médica, quando então descobriu o curso de Design Gráfico, no qual se formou em 2007.

Atualmente trabalha como ilustradora, principalmente com estampas de camiseta, paixão descoberta em 2007. Começou a trabalhar com ilustrações de livros recentemente. E não pretende mais parar.


*

um lançamento

Tem post novo no Blog do Le-Heitor.



Link

Heitor ganhou brindes para sortear entre os alunos da escola, que comentarem no seu blog durante o Clube de Leitura, e conta tudo: http://blogdoleheitor.sintaxe.com.br



Para quem ainda não visitou o Blog do Le-Heitor.

Criei um personagem, o nome dele é Heitor, o menino leitor. O Vinícius Rossignol fez a ilustração desse personagem. Heitor é um garoto de 12 anos, que gosta muito de ler e de contar as histórias que lê. Criei um blog e o Braz Júnior fez a programação e a arte.

Nesse blog o menino vai falar das suas leituras e também contar as suas aventuras no mundo da literatura. Ele já visitou uma editora, conheceu um escritor de verdade, foi ao lançamento de um livro, leu o livro de um escritor imortal, leu outro que conta a história de um menino que gostava de descobrir palavras, descobriu o que significa leitura compartilhada, foi sozinho à biblioteca, leu uma história em quadrinhos e entrevistou o autor, leu um livro que é quase um filme de cinema, foi a Bienal do Livro, quase leu um Kafka, foi ao lançamento de um audiolivro do Machado de Assis, ao Museu da Língua Portuguesa, conheceu o Fernando Pessoa, descobriu por que gosta tanto de ler, leu histórias de assombração, histórias de um menino francês, leu dois livros com histórias de amizade de crianças com animais e entrevistou o autor, assistiu a uma contação de história na biblioteca, leu livros e folhetos de cordel, brincou de Flip, leu O alienista, foi ao sebo e ganhou dois livros, ganhou um livro de uma editora e conheceu a autora, leu um livro da Rachel de Queiroz, encontrou o vídeo de um livro na internet, leu o livro, leu outro numa sentada, foi à sua primeira passeata, foi à uma audiência pública, leu um conto fantástico de Murilo Rubião, leu o livro Os meninos da rua Paulo e descobriu os seus grunds, ganhou mais três livros das editoras e leu todos, leu um livro do Pedro Bandeira, foi a uma reunião e deu notícias da sua primeira luta política, leu um livro sobre uma luta política, ganhou e acaba de inaugurar um clube de leitura com cento e oitenta alunos leitores de uma escola pública, leu um livro juvenil do Paul Auster.

Dê uma olhada (http://blogdoleheitor.sintaxe.com.br). Deixe um comentário e se gostar indique, por favor, para crianças da idade do menino, para pais ou professores e outros profissionais que conheçam crianças dessa idade. Ele quer ampliar seu círculo de amizades e conhecer outras crianças que também gostem de ler. Mesmo aquelas que não gostam tanto assim, quem sabe, se conhecerem o Heitor, peguem gosto pela coisa.

quinta-feira, 16 de junho de 2011

Tem post novo no Blog do Le-Heitor.




Tem post novo no Blog do Le-Heitor.



Heitor foi à livraria, encontrou um livro juvenil do Paul Auster, leu e conta tudo no seu blog: http://blogdoleheitor.sintaxe.com.br

Lançamento - Arte - Contando a Arte




Contando a Arte - Ferreira
Contando a Arte - Dalmau

42 páginas

Uma obra de arte é como um texto. Tem suas belezas e seus mistérios.
Para desfrutarmos dessas belezas e desvendarmos esses mistérios, precisamos compreender o alfabeto por meio do qual esse texto é escrito – esse alfabeto que é feito de cores e formas. Esta série CONTANDO A ARTE oferece ao leitor uma forma simples, prazerosa e eficiente de aprender a ler as obras de arte, por meio de reproduções de excelente qualidade e de textos críticos que chamam a atenção para a beleza das formas e cores, esclarecendo alguns dos muitos segredos escondidos nos quadros e esculturas dos mais importantes artistas brasileiros.
Com isso, tanto habilidades de leitura do texto visual, quanto aquelas relacionadas ao texto escrito mais sofisticado – o texto crítico – são mobilizadas simultânea e articuladamente. Comparando o texto verbal com as belas reproduções das obras de arte, ambos no espaço da mesma página, o leitor desenvolverá a um só tempo sua percepção e acuidade visual, suas habilidades de leitor do texto verbal e suas habilidades críticas, propiciadas pelo exercício comparativo.


**

UM LANÇAMENTO



Lançamento -Mais Aventuras do Menino com Monstros nos Dedos




Mais Aventuras do Menino com Monstros nos Dedos


de Almir Correia e
ilustrado por
Victor Tavares

Assunto: os medos infantis abordados com humor.

Interdisciplinaridade: Psicologia, Língua Portuguesa, Literatura e Arte.

Transversalidade : afetividade, identidade e autonomia e ética e cidadania.

Proposta: cada criança desenha um personagem misterioso ou horripilante em uma folha de papel. Em seguida, redige falas para esses personagens. Após isso, apresenta o personagem ao conjunto da turma e reproduz oralmente as falas do personagem, interpretando-o.

Indicação: séries iniciais e intermediárias do Ensino Fundamental



O menino com monstros nos dedos volta para mais uma aventura. Desta vez, Rico enfrentará uma caçada para derrotar doze cópias de si mesmo, Chega a conclusão que viver no mundo da fantasia pode ser perigoso, mas é muiiiiiiiiitooooooo mais divertido.





**

UM LANÇAMENTO



terça-feira, 14 de junho de 2011

EVENTOS - Música - Rosy Greca lança livro de música para crianças na CAIXA Cultural







“A canção para crianças – uma contribuição ao reencantamento da infância” é uma compilação de 35 anos de carreira







A CAIXA Cultural convida para o lançamento da obra “A canção para crianças – uma contribuição ao reencantamento da infância”, da produtora cultural Rosy Greca, no dia 15 de junho às 20h. O livro, que conta com incentivo da CAIXA pela lei municipal de incentivo a cultura, é um registro dos trinta e cinco anos de carreira, todos dedicados à canção para crianças. O evento conta ainda com um show, com canções compostas pela artista, no teatro da CAIXA Cultural.



No livro, Rosy Greca mergulha no universo da canção para crianças, lançando um olhar conceitual e histórico, além de versar sobre seus elementos artísticos, seus valores essenciais, sua aplicação na escola e sua difusão e distribuição no mercado fonográfico brasileiro. Ela propõe uma reflexão sobre os desafios da infância contemporânea frente aos excessos dos meios de comunicação, da publicidade e dos recursos tecnológicos. Nesse contexto, apresenta a arte em geral e, em particular a canção, como contribuição ao reencantamento da infância.



A obra é pioneira, sendo o primeiro livro sobre canção autoral pra crianças no Brasil. “A canção para crianças é diferente da música infantil e tem uma história recente no país. A canção traz uma maior preocupação com a questão cultural educativa e artística”, conta Rosy. “A canção prima pela qualidade melódica, do arranjo, da letra, da interpretação e da performance. É uma forma diferenciada de tratar o material sonoro”, completa a artista.



Para Rosy a música infantil presente na mídia, em programas infantis, é movida por interesses comerciais. “Não há preocupação com a formação estética e cultural de nossas crianças”, afirma Rosy. A conseqüência é o fenômeno, segundo o crítico social Neil Postman, denominado “desaparecimento da infância”. O lado positivo é que um contingente cada vez maior de compositores dedica seu tempo à composição artística e de caráter educativo.



“A idéia do cancioneiro para crianças é criar entretenimento, diversão e cultura com qualidade. É sensibilizar os sentidos das crianças”, conclui Rosy. O show, também criado pela produtora, mistura música e poesia para crianças. É inspirado em poemas escritos especialmente para a infância por Cecília Meireles, Sidônio Muralha, Roseana Murray, José Paulo Paes, Ricardo Azevedo, Manoel Bandeira e Mario Quintana. As canções são interpretadas por Rosy Greca, Ervin Fast (teclado) e Larissa Novo (flauta), sendo algumas em parceria com Enéas Lour. A intenção é oferecer às crianças momentos de pura música, poesia e encantamento, alimentando o mundo sensível da criança com fantasia, emoção e imaginação.



Rosy Greca



Rosy Greca é artista, compositora, contadora de histórias, arte-educadora e produtora cultural. Compôs sua primeira trilha sonora para o teatro com apenas dezesseis anos de idade, para a peça “Hoje é dia de Rock”, com direção de Antonio Carlos Kraide e adaptação de Denise Stoklos.



Hoje conta com sessenta trilhas musicais compostas, principalmente, para o teatro infantil. Rosy se dedica à canção para crianças, tanto na área artística quanto na área pedagógica, e já produziu onze álbuns, em que atua como compositora e intérprete.



Após trinta e cinco anos de carreira, Rosy resolveu registrar sua experiência no livro “A canção para crianças” – uma contribuição ao reencantamento da infância.



Colecionadora de troféus



Rosy Greca foi premiada diversas vezes com o Troféu Gralha Azul: “A história de muitos amores (1986), “O Menino Maluquinho” (1987/88/94/95), “Flicts” (1994/95), “A História de Pã” (1994/95), “A Fada que tinha idéias” (1997), “O Conto da Ilha Desconhecida” (2002), “Os Alegres Fanstasmas do Clube” (2006), além de sete outras indicações. Recebeu o Troféu Poty Lazarotto por “As Loucas e os Lazarentos” (2001) e por “O Conto da Ilha Desconhecida” (2002), foi premiada no Festival Nacional de Teatro Isnard de Azevedo e no Festival de Teatro do Vale dos Sinos, com “Ari Areia”, entre muitas outras premiações.



Serviço:



Livro: Lançamento do livro de música “A canção para crianças – uma contribuição ao reencantamento da infância”, de Rosy Greca

Local: CAIXA Cultural – Rua Conselheiro Laurindo, 280 – Centro Curitiba/PR

Show: teatro da CAIXA Cultural – 20h – Retirar os ingressos na bilheteria a partir das 19h

Data: 15 de junho

Horário: Quarta 20h

Ingressos: Entrada franca.

Informações: (41)2118-5111(de terça a sexta, das 12 às 19h, sábado e domingo, as 16 às 19h)

Classificação etária: Livre para todos os públicos

www.caixa.gov.br/caixacultural
******

sexta-feira, 3 de junho de 2011

Tem post novo no Blog do Le-Heitor



Tem post novo no Blog do Le-Heitor.

Heitor ganhou e acaba de inaugurar um clube de leitura com cento e oitenta alunos leitores de uma escola pública, o Clube de Leitura do Blog do Le-Heitor, e conta tudo: http://blogdoleheitor.sintaxe.com.br
Link

Evento -Oficinas circenses na programação do Circo da Cidade “Zé Priguiça”








Crianças e adolescentes tomam conta do Circo da Cidade “Zé Priguiça”, unidade da Fundação Cultural de Curitiba, para integrar as novas oficinas de técnicas circenses, que têm início nesta segunda-feira (6). Vindos de escolas da Rede Municipal de ensino e da comunidade em geral, os participantes, na faixa etária de 7 a 17 anos, terão 40 horas de aulas até o dia 27 de junho, com atendimento pela manhã e à tarde.

No comando do aprendizado de 100 alunos está a companhia TripCirco, selecionada por meio do Edital de Difusão em Circo do Fundo Municipal da Cultura. As oficinas, que têm por objetivo o desenvolvimento pessoal dos participantes, sem o intuito de profissionalização, abrangem técnicas tradicionais e também abrem espaço para a linguagem contemporânea do circo.

A companhia apresenta ainda o espetáculo “TripCirco Pocket Show”, com nove sessões agendadas para alunos de escolas públicas curitibanas e entidades sociais de todas as Regionais da cidade, além de uma apresentação aberta à comunidade, que acontece às 15h do dia 18 de junho de 2011, com entrada franca.

Fundada em 1998, a TripCirco reúne artistas que têm em comum o interesse de estudar e desenvolver técnicas circenses. A partir disso, o grupo realiza um trabalho especial, com a mistura das diversas expressões das artes como teatro, dança e música. A inovadora forma de abordar o circo é transmitida pela TripCirco Escola Experimental, mantida pela companhia, que também realiza periodicamente o Cabaré de Variété, evento dedicado ao resgate da tradição circense.



Serviço:

Circo da Cidade “Zé Priguiça”

Oficinas de arte circense a cargo da companhia TripCirco

Local: Rua Benedicto Siqueira Branco, s/n – Alto Boqueirão (próximo ao Armazém da Família Jardim Paranaense) – telefone: (41) 3287-5307

Dias e horários: de 6 a 27 de junho de 2011, com aulas pela manhã (das 9h às 10h e das 10h às 11h) e à tarde (das 14h às 15h e das 15h às 16h), de segunda a quarta-feira.

A companhia apresenta também o espetáculo “TripCirco Pocket Show”, com nove sessões agendadas para alunos de escolas públicas curitibanas e entidades sociais, além de uma apresentação aberta à comunidade, às 15h do dia 18 de junho de 2011, com entrada franca.